Descrição de chapéu Copa do Mundo Feminina

"Yeah!!!!", grita técnico da Jamaica, ao saber que Marta está fora da estreia na Copa

Técnico do Brasil, Vadão, anunciou que atleta seria poupada do jogo do domingo (9)

Grenoble (França)

O técnico da Jamaica, adversária da seleção brasileira na estreia na Copa da França, não disfarçou o alívio ao saber que a atacante Marta, eleita seis vezes a melhor jogadora do mundo, não estará em campo em Grenoble. 

"Yeahhh!!!", gritou Hue Menzies, na entrevista de véspera de jogo, neste sábado (8), antes de falar a sério. "O Brasil é um time forte e tem banco. Provavelmente vai vir com outra Marta amanhã [domingo]. [A ausência dela] muda um pouco o nosso esquema defensivo, mas não o plano geral."

Treino da Seleção Feminina no Stade Paul Bourgeat. Foto: Assessoria / CBF
Marta durante treino da seleção brasileira feminina de futebol neste sábado (8), na França - Assessoria/CBF

Pouco antes da entrevista da comissão jamaicana, o técnico do Brasil, Vadão, anunciou que Marta, que ainda se recupera de uma lesão na coxa esquerda sofrida há 15 dias, seria poupada do jogo de domingo.

"Ela teve uma evolução grande, acima do que a gente esperava, mas ainda não reúne condições para o primeiro jogo", disse. "Pode ficar no banco, mas não tem possibilidade de entrar nesse jogo." 

A atacante participou do reconhecimento de campo no Stade des Alpes com a comissão técnica. Sorrindo, descontraída, ela afirmou ter vindo "para dar uma pernadinha".

Na conversa com a imprensa, o técnico jamaicano disse que as atletas sob seu comando respeitam, mas não temem as brasileiras. As adversárias, lembrou Menzies, não ganharam nenhuma partida em 2019 —o retrospecto recente é de nove derrotas consecutivas. "Elas vão vir com ainda mais vontade. Precisaremos conter esse ímpeto."

A Jamaica faz em 2019 sua primeira participação em Copas. A equipe tem a menor média de idade entre as 24 participantes do torneio.

"Estamos aqui para competir, não para curtir o ambiente, a festa", afirmou Menzies. "A ideia é avançar para a próxima fase. Temos [a atacante] Khadija Shaw, uma das melhores do mundo."

Shaw marcou 19 gols (mais do que qualquer outro jogadora no mundo) na Golden Cup, que selou o passaporte do país caribenho para a França --o grupo arrancou um terceiro lugar nos pênaltis, contra o Panamá.

 

A seleção feminina da Jamaica ficou inativa entre 2008 e 2014. "Ressuscitou" graças a uma campanha de arrecadação de fundos capitaneada por uma das filhas do músico Bob Marley (1945-81). Novamente "congelada" em 2016, rearticulou-se em 2018, por pressão da Fifa, a tempo de disputar a classificação para a Copa.  

"Nosso projeto é maior do que uma [edição da] Copa. Queremos um programa sustentável e a possibilidade de mudar a forma como as pessoas olham para o futebol feminino na Jamaica. Temos um futuro", concluiu Menzies.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.