Descrição de chapéu Pan-2019

Handebol masculino busca no Pan vaga olímpica e garantias de futuro

Seleção estreia em Lima nesta quarta, assim como a equipe masculina de vôlei

Lima (Peru)

As equipes masculinas de handebol e vôlei do Brasil estreiam nos Jogos Pan-Americanos de Lima nesta quarta-feira (31) com objetivos distintos.

A seleção de handebol busca no torneio uma vaga na Olimpíada de Tóquio-2020, destinada apenas ao vencedor do Pan. A equipe enfrenta o México, às 20h (de Brasília), desta quarta. Na primeira fase, ainda terá como adversários no seu grupo Peru e Porto Rico. A final está marcada para o dia 5 de agosto.

Após o time terminar o último Mundial, em janeiro, na nona posição (melhor de sua história), o técnico Washington Nunes chega confiante a Lima, mas projeta o clássico contra a Argentina na provável decisão do torneio como principal desafio.

Seleção brasileira de handebol masculino após encerrar sua preparação para os Jogos Pan-Americanos de Lima, no Peru
Seleção brasileira de handebol masculino após encerrar sua preparação para os Jogos Pan-Americanos de Lima, no Peru - Divulgação - 28.jul.2019/CBHb

"Podemos encarar como 50% de chances bem claras para os dois. O nono lugar do Mundial foi bastante significativo para o Brasil, mas não podemos achar que isso [conquista da vaga] simplesmente vai acontecer, porque o jogo com a Argentina é bastante equilibrado", afirmou à Folha.

Na mesma competição, os argentinos fizeram jogos duros contra times fortes, mas não passaram da primeira fase.

O handebol brasileiro viveu um 2018 turbulento fora das quadras, com o afastamento do então presidente da confederação e a perda dos patrocínios dos Correios e do Banco do Brasil. Essa situação coloca em risco, por exemplo, os acampamentos promovidos pela entidade, que ajudaram a revelar muitos dos atletas que hoje defendem a seleção masculina.

Por isso, o treinador enxerga o título do Pan como uma forma de garantir um planejamento mais tranquilo para a Olimpíada, além de expor positivamente a modalidade junto ao Comitê Olímpico do Brasil (COB), hoje seu principal financiador.

"Temos que conquistar mais do que a vaga olímpica ou a medalha de ouro. Tudo o que estamos fazendo aqui envolve a melhoria direta para a modalidade", disse Nunes.

Já no vôlei, o Brasil tem como objetivo no Pan dar experiência a atletas jovens, enquanto os principais jogadores do país se preparam para a disputa do torneio pré-olímpico, de 9 a 11 de agosto, primeira chance de garantir vaga em Tóquio.

Nem mesmo o técnico da equipe principal, Renan Dal Zotto, estará presente. Será substituído pelo seu assistente, Marcelo Fronckowiak.

“Essa é uma rotina completamente diferente da que temos em outras competições, onde estamos em um hotel, uma estrutura bem tranquila. Aqui convivemos com um exército de atletas das mais diversas modalidades. É tudo muito interessante e é importante que estamos pegando essas referências”, afirma Fronckowiak.

O único campeão da Olimpíada de 2016 no grupo é o central Éder. Outros nomes com passagem pelo time principal são os ponteiros Lucas Lóh, Kadu e Rodriguinho. O adversário de estreia no vôlei será o México, às 22h30 (de Brasília). Completam o grupo Chile e Estados Unidos.

O torneio masculino vai até 4 de agosto, e no dia 7 começa a competição feminina, para a qual o país também irá com uma equipe reserva.

Outra modalidade coletiva com início nesta quarta em Lima é o basquete masculino, mas o Brasil não estará representado porque não conquistou a vaga na Copa América de 2017. As mulheres estreiam no dia 6 de agosto.

A favorita à medalha de ouro entres os homens é a Argentina, que atuará com sua equipe principal para ganhar entrosamento antes da Copa do Mundo, da qual os brasileiros também participarão, em setembro.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.