Descrição de chapéu Pan-2019

Mulheres levam bandeira do Brasil pela 1ª vez no Pan com dupla da vela

Kahena Kunze e Martine Grael, ouro na Rio-2016, foram escolhidas pelo COB

Lima (Peru)

Pela primeira vez na história, o país terá uma porta-bandeira mulher na cerimônia de abertura dos Jogos Pan Americanos. Não só uma, já que essa também será a primeira vez que uma dupla carregará o estandarte.

Nesta quinta (25), o Comitê Olímpico do Brasil (COB) anunciou que Kahena Kunze e Martine Grael, velejadoras, levarão a bandeira brasileira no evento que marca o início oficial do Pan de Lima, marcado para esta sexta (26), às 20h30 (de Brasília), com transmissão do SporTV 2.

A dupla conquistou uma medalha de ouro em Olimpíada na Rio-2016, uma no Mundial da Espanha de 2014 e tem também uma prata em Pan-Americanos, na edição de Toronto (2015), todas na categoria 49er FX.

Martine Grael e Kahena Kunze, atletas campeãs olímpicas da Rio-2016, na Vila dos Atletas do Pan
Martine Grael e Kahena Kunze, atletas campeãs olímpicas da Rio-2016, na Vila dos Atletas do Pan - Washington Alves/COB

Essa também será a edição com a maior proporção feminina na delegação nacional. Representarão o país no Peru 249 homens e 236 mulheres. "Quem sabe a gente possa até ter mais medalhas de mulheres do que de homens, já que o numero de participantes é quase igual", disse Kahena.

Além das velejadoras, o Brasil terá no Pan mais 10 medalhistas olímpicos: Mayra Aguiar e Rafaela Silva, do judô; Rosângela Santos e Thiago Braz, do atletismo; Isaquias Queiroz e Erlon Souza, da canoagem velocidade; Arthur Zanetti e Arthur Nory, da ginástica artística; Maicon Andrade, do taekwondo; e Éder Carbonera​, do vôlei.

Nos Jogos Olímpicos, duas brasileiras já foram porta-bandeiras na cerimônia de abertura. Sandra Pires, do vôlei de praia, em 2000, e Yane Marques, do Pentatlo Moderno, em 2016, ambas após edições em que ganharam medalhas.

O COB precisou fazer uma consulta à organização dos Jogos para aprovar a indicação de duas atletas, algo incomum.

Na justificativa, o presidente da entidade, Paulo Wanderley, afirmou que Martine e Kahena representam "com maestria a força, o talento, a competência e a determinação das mulheres no universo esportivo".

Para Martine, nem sequer havia a opção de uma delas carregar a bandeira sem a outra. "Não faria sentido não ter as duas aqui. Estivemos juntas nas conquistas. Achei incrível que fizeram esse pedido e estou muito animada para amanhã. Vamos chacoalhar essa bandeira" afirmou.

A abertura do Pan de Lima será no estádio Nacional. São esperadas pela organização cerca de 50 mil pessoas. A festa celebrará a história do país-sede e terá a presença de artistas locais, mas a grande atração ficará por conta do porto-riquenho Luis Fonsi, famoso pelo hit “Despacito”.

 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.