Descrição de chapéu Tóquio 2020

Tóquio entrega mais da metade das novas arenas a um ano dos Jogos

Resultado é melhor que Rio-2016, mas proporcionalmente pior que Londres-2012

João Gabriel
São Paulo

Nesta quarta (24), dia que marca um ano para a abertura dos Jogos Olímpicos, os japoneses estão orgulhosos do ritmo das obras para o evento. Eles têm motivos para isso. Cinco das oito novas arenas esportivas permanentes feitas para a Olimpíada foram concluídas.

Como comparação, o Rio de Janeiro, sede em 2016, não tinha nenhuma de suas nove arenas novas entregues em 2015Londres, em 2011, tinha todas as suas cinco.

Para realizar as 33 modalidades esportivas, a capital japonesa terá cinco instalações a mais do que houve no Rio. Além das feitas para a Olimpíada, a cidade usará 22 já existentes e dez temporárias — respectivamente, oito e quatro a mais que na Rio-2016. Não foram levados em consideração áreas não destinadas a competição, como os centros de mídia.

Das três novas arenas esportivas que faltam ser entregues em Tóquio, todas estão dentro do cronograma, segundo a organização. A que está mais longe de ficar pronta é o Centro Aquático de Tóquio, prevista para ser entregue em fevereiro do ano que vem e que tem três quartos de suas obras concluídas.

De acordo com as previsões, as próximas duas arenas a serem inauguradas devem ser o Estádio Olímpico (83% pronto), em novembro, e a Ariake Arena (90% concluída), um mês depois. No Centro de Canoagem Slalom, apenas a parte esportiva ficou pronta. O prédio administrativo ainda está em obras.

No Rio, o Velódromo só foi entregue no final de junho de 2016, faltando pouco mais de um mês para o evento começar. Antes, a Arena Carioca 2 ficou pronta em maio. Já a Arena Carioca 3, por exemplo, foi entregue em março, mas ainda com as obras inacabadas.

A Folha questionou o Comitê Organizador quanto às reformas dos estádios já existentes e o andamento das obras das estruturas temporárias. A Tóquio-2020 disse que as arenas provisórias terão sua construção iniciada em janeiro ​próximo.

 
Quanto às edificações já construídas, os organizadores afirmaram que não podem dar as informações já que "os donos de cada instalação estão se preparando para os Jogos".

Outra diferença será o número de arenas fora da cidade-sede. Se no Brasil apenas o futebol usou estádios em outras cidades (São Paulo, Salvador, Belo Horizonte, Brasília e Manaus), Tóquio-2020 usará as cidades de Miyagi, Yokohama e Fukushima, esta última para receber o beisebol e o softball.

 

Enquanto no Rio-2016 as instalações ficaram concentradas em quatro polos (Deodoro, Barra da Tijuca, Maracanã e Copacabana), no Japão elas serão distribuídas em dois grandes centros (Heritage Zone e Tokyo Bay Zone), com a Vila Olímpica entre eles.

 

Fora dessas duas áreas, mas ainda dentro da capital japonesa, ficam outras cinco arenas.

Nesta quarta-feira (24), no Fórum Internacional de Tóquio, será realizada uma cerimônia em ocasião do um ano para o início da competição. Nela, serão divulgadas as medalhas do evento.

Os Jogos Olímpicos de Tóquio acontecem entre os dias 24 de julho e 9 de agosto de 2020. Os Jogos Paraolímpicos serão entre 25 de agosto e 6 de novembro.

 
Erramos: o texto foi alterado

A Olimpíada do Japão será disputada em 2020 e não em 2022. O texto foi corrigido. 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.