Bom retrospecto em mata-mata é trunfo de Carille na Sul-Americana

Corinthians encara o Fluminense nesta quinta (22) pelas quartas de final

Luciano Trindade
São Paulo

À frente do Corinthians, o técnico Fábio Carille, 45, tem um aproveitamento de 88% em confrontos de mata-mata. Em 25 duelos, conseguiu 22 classificações. Nesta quinta-feira (22), às 21h30, em Itaquera, ele começa a busca da 23ª diante diante do Fluminense, pelas quartas de final da Copa Sul-Americana.

Agregar um título internacional ao seu currículo é a uma das principais motivações do treinador nesta temporada. Pelo time do Parque São Jorge, ele conquistou três vezes o Campeonato Paulista (2017, 2018 e 2019) e uma o Campeonato Brasileiro (2017).

Foi nos torneios estaduais que ele desenvolveu sua vocação para mata-matas. O técnico nunca foi superado na competição em nove confrontos.

Em campeonatos internacionais, ele teve seis duelos, com cinco classificações e uma queda. No único revés, foi batido pelo critério do gol marcado fora de casa, após empatar em casa com o Racing (ARG) por 1 a 1 e ter uma nova igualdade, sem gols, na Argentina, pelas oitavas de final da Sul-Americana de 2017.

No mesmo ano, Carille teve outra desclassificação sem ser derrotado no tempo normal. Após dois empates com o Internacional, por 1 a 1, os gaúchos superaram os paulistas nos pênaltis, por 4 a 3, pela Copa do Brasil.

O único time a vencer um duelo de mata-mata contra o técnico no tempo normal foi o Flamengo, na Copa do Brasil deste ano. A equipe rubro-negra ganhou do Corinthians duas vezes por 1 a 0, pelas oitavas de final.

Além de carregar um histórico amplamente favorável, o comandante alvinegro está invicto após a parada no futebol brasileiro devido à disputa da Copa América. Desde então, o clube do Parque São Jorge disputou nove jogos: venceu seis e empatou três.

O retrospecto é reflexo da evolução sobretudo na parte defensiva. A chegada de Gil, que rapidamente assumiu a condição de titular ao lado de Manoel, devolveu segurança à defesa alvinegra.

Em cinco dos últimos nove jogos, o Corinthians não sofreu gols. Com isso, baixou sua média de gols sofridos de 0,76 por duelo antes da Copa América para 0,44 após o torneio.

O ataque também tornou-se mais produtivo, com 14 gols em 9 jogos, média de 1,5 por partida. Antes da Copa América, essa média era de 1,05 em 38 jogos.

"Depois da Copa América, a gente tinha mudado muitos jogadores. Hoje, eles dominam a parte tática. Tem um bom entrosamento entre todos", disse o goleiro Cássio.

O arqueiro, que está no Parque São Jorge desde 2012, também anseia ganhar a Copa Sul-Americana, um dos poucos torneios que ele ainda não venceu pelo time alvinegro. "Vejo todos os companheiros com ambição de evoluir mais, ganhar mais", afirmou.

Cássio defende pênalti no jogo em que o Corinthians eliminou o Racing (ARG) na Copa Sul-Americana
Cássio defende pênalti no jogo em que o Corinthians eliminou o Racing (ARG) na Copa Sul-Americana - REUTERS

Antes de encarar o time carioca, a equipe de Carille deixou para trás no mata-mata o Racing (ARG), o Deportivo Lara (VEN) e o Montevideo Wanderers (URU).

Este será o sexto confronto entre Corinthians e Fluminense em mata-matas. O time paulista venceu quatro vezes, incluindo o duelo que ficou marcado pela chamada "invasão corintiana" ao Rio de Janeiro, em 1976, quando torcedores da equipe alvinegra se deslocaram em massa para acompanhar a semifinal do Campeonato Brasileiro daquele ano.

O time tricolor carioca superou o alvinegro paulista em mata-matas apenas na semifinal do Campeonato Brasileiro de 1984.

VEJA COMO ASSISTIR A CORINTHIANS X FLUMINENSE

A partida desta quinta-feira (22), às 21h30, na Arena Corinthians, não terá transmissão ao vivo pela TV. Apenas o DAZN exibirá o duelo em sua plataforma.

Para ter acesso ao serviço pela internet, os torcedores terão de fazer uma assinatura mensal, que custa R$ 37,90, com o primeiro mês gratuito. Segundo a empresa, é possível assinar e cancelar o serviço antes do fim da gratuidade.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.