Descrição de chapéu Futebol Internacional

Intoxicação pode explicar queda de avião de Sala, diz investigação

Jogador morreu quando viajava da França para seu novo clube no País de Gales

São Paulo

Quase sete meses após a queda do avião que matou o jogador Emiliano Sala, a AAIB (Agência de Investigação de Incidentes Aréreos​) revelou nesta quarta-feira (14) resultados de exames toxicológicos realizados com o sangue do atleta e indicou a possibilidade de "intoxicação" por monóxido de carbono (CO).

O relatório, publicado pela agência que investiga as causas do acidente, mostra 58% de concentração carboxihemoglobina (substância que contém CO), quantidade descrita como "potencialmente fatal".

"Neste tipo de aeronave [um Piper PA-46 Malibu, avião de pequeno porte], o cockpit não é separado da cabine e é consideravelmente possível que o piloto também tenha sido afetado pela forte exposição" diz a publicação.

A inalação de CO pode causar inconsciência e ataque cardíaco, além de visão borrada, dificuldade para respirar, perda de memória e problemas motores.

O gás monóxido de carbono é incolor, sem odor e produzido pela queima incompleta de matérias que contenham carbono. A carboxihemoglobina é um produto do monóxido com a hemoglobina, proteína contida no sangue.

O acidente aconteceu no dia 21 de janeiro, quando Emiliano Sala voava da França, país do seu então clube, o Nantes, ao País de Gales. Ele tinha sido contratado pelo Cardiff.

A morte do jogador de 28 anos gerou comoção no mundo do futebol. Homenagens aconteceram nos dois países e um financiamento coletivo arrecadou mais de R$ 1 milhão para ajudar com os custos da investigação.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.