Descrição de chapéu Copa Libertadores

Palmeiras pega o Grêmio nas quartas e Brasil se garante na final da Libertadores

Com quatro brasileiros na próxima fase, país terá um representante na decisão

Luciano Trindade
São Paulo

O Grêmio superou o Libertad, do Paraguai, nesta quinta-feira (1), e se tornou o quarto time brasileiro classificado às quartas de final da Taça Libertadores. Ao se juntar a Palmeiras, Internacional e Flamengo, o time tricolor fez o Brasil repetir o seu melhor desempenho no mata-mata continental.

É a quarta vez na história que o país tem quatro equipes nesta fase da competição, o que garante a presença de um brasileiro na final, que este ano será disputada em jogo único. Santiago, a capital chilena, vai sediar a decisão, em 23 de novembro.

No chaveamento, o Palmeiras vai enfrentar o Grêmio, enquanto o Flamengo encara o Internacional. 

Dudu, Hyoran, Gustavo Scarpa e Borja celebram gol durante vitória do Palmeiras sobre o Godoy Cruz, pelas oitavas de final da Libertadores
Dudu, Hyoran, Gustavo Scarpa e Borja celebram gol durante vitória do Palmeiras sobre o Godoy Cruz, pelas oitavas de final da Libertadores - AFP

Nas três primeiras vezes em que quatro times do país chegaram às quartas, em apenas uma o troféu não veio parar em terras canarinhas. Isso ocorreu em 2009, ano em que o Cruzeiro perdeu a decisão para o Estudiantes de La Plata (ARG).

Em 2010 e 2012, também com quatro times brasileiros nas quartas de final, Internacional e Corinthians superaram Chivas Guadalajara (MEX) e Boca Juniors (ARG), respectivamente, e ficaram com o caneco.

Na atual edição, o Brasil esteve perto de registrar o seu melhor desempenho, mas Athlético-PR e Cruzeiro acabaram eliminados, respectivamente, por Boca Juniors e River Plate. O time paranaense perdeu por 3 a 0 na soma dos dois jogos, enquanto a equipe mineira foi batida nos pênaltis após dois empates sem gols.

Além de Boca e River, Cerro Porteño (PAR) e LDU (EQU) são as outras duas equipes classificadas à próxima fase do mata-mata. Um desses times será o adversário do brasileiro que chegar à decisão.

Essa disputa por vaga na final promete ser bastante acirrada. Enquanto Grêmio e Internacional passaram com certa facilidade por Libertad (PAR) e Nacional (URU), Palmeiras e Flamengo precisaram contar com decisões questionáveis da arbitragem para seguirem vivos no torneio.

Após empatar o jogo de ida com o Godoy Cruz, por 2 a 2, o Palmeiras despachou o time argentino com uma goleada por 4 a 0, em casa. A vitória, porém, só começou a ser construída a partir de um polêmico pênalti marcado pelo árbitro uruguaio Esteban Ostojich. Ele entendeu como infração um leve toque de mão involuntário do zagueiro Varela, dentro da área.

Até a penalidade, marcada aos 10 minutos do segundo tempo, a partida estava empatada em 0 a 0, resultado que ainda dava vantagem ao Palmeiras. O duelo, porém, estava bastante equilibrado. Depois do pênalti, a revolta dos argentinos desestabilizou o Godoy Cruz.

Questionado sobre a influência da arbitragem no jogo, o técnico palmeirense Luiz Felipe Scolari se esquivou. "Não digo nada. Nada. Não falo sobre isso. Vocês [da imprensa] que são os entendidos, falem."

Situação semelhante ocorreu no Maracanã, no segundo duelo entre Flamengo e Emelec (EQU). Logo aos 7 minutos de jogo, o árbitro argentino Néstor Pitana também apontou um pênalti ao entender como faltosa uma disputa de bola entre Rafinha e  Bagüi. Gabriel converteu a cobrança para os rubro-negros.

O camisa 10 voltaria a balançar as redes aos 18 minutos, resultado que provocou uma decisão por pênaltis, vencida pelo Flamengo por 4 a 2.

As decisões tomadas por Esteban Ostojich e Néstor Pitana foram bastante questionadas, sobretudo pela imprensa argentina. O jornal Olé, por exemplo, estampou em sua manchete a frase "Volvió VARsil" ("O VARsil voltou"), em referência à atuação dos árbitros mesmo com o auxílio do VAR (árbitro de vídeo).

O Brasil é o segundo país com mais títulos da Libertadores, com 18 troféus, só atrás dos argentinos, que venceram 25. O River Plaete, aliás, é o atual vencedor do torneio, superando o Boca na final de 2018.

Nesta edição, o Brasil foi o país com mais representantes, com oito times. Sete classificados com as vagas destinadas ao país via Campeonato Brasileiro e Copa do Brasil e mais o Atlhético-PR, campeão da Sul-Americana no ano passado.

O Brasil também tem os times que mais investiram nesta temporada no futebol sul-americano. O Flamengo, por exemplo, teve um orçamento de R$ 765 milhões para o ano de 2019, o maior do continente, seguido do Palmeiras, com R$ 562 milhões para investir no futebol. 

Só para a disputa da Libertadores, o time carioca investiu cerca de R$ 100 milhões em reforços. A equipe paulista, por sua vez, gastou cerca de R$ 85 milhões. Também classificados às quartas de final, Grêmio e Internacional gastaram, respectivamente, R$ 5,4 milhões e R$ 2,9 milhões.

As quartas começam no próximo dia 20 (terça), com Grêmio e Palmeiras, em Porto Alegre. Flamengo e Internacional jogam um dia depois, no Rio de Janeiro. Os confrontos de volta estão marcados para os dias 27 (terça, Palmeiras e Grêmio) e 28 (quarta, Internacional e Flamengo).

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.