Descrição de chapéu Campeonato Brasileiro

Vitorioso em disputa interna, Love comanda recuperação corintiana

Titular, atacante enfrenta o seu ex-clube Palmeiras neste domingo

Luciano Trindade
São Paulo

Vagner Love, 35, não é do tipo que se intimida em comemorar gol contra uma ex-equipe. Mesmo se for diante do Palmeiras, pelo qual foi revelado, em 2002. Ele já vibrou ao balançar as redes alviverdes quando estava no Flamengo e fez o mesmo com a camisa do Corinthians.

Neste domingo (4), o artilheiro defenderá o time alvinegro novamente no dérbi, às 19h, em Itaquera, em partida pela 13ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Ao longo de sua carreira, Love cultivou uma relação de amor e ódio com o Palmeiras. Foi fundamental para o time na Série B de 2003, na campanha que promoveu o retorno à elite do futebol nacional. Ironicamente, acabou sendo decisivo para a nova queda do time nove anos depois.

 Vagner Love durante treino do Corinthians
Vagner Love durante treino do Corinthians - Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians

Era um domingo, 18 de novembro de 2012. Love vestia a camisa do Flamengo, adversário do Palmeiras num duelo que poderia decretar o segundo rebaixamento do clube paulista. O time alviverde precisava vencer e estava à frente no placar até os 44 minutos do segundo tempo, quando o atacante empatou o jogo.

Na véspera da partida, ele afirmou que sabia da possibilidade de contribuir para o descenso do seu ex-clube, mas que não deixaria de comemorar um gol por causa disso.

"Lógico que vou comemorar com minha torcida, com quem está comigo no dia a dia, com quem torce por mim. Tenho respeito pelo Palmeiras, mas não vai ser esse jogo que vai rebaixar eles. Tiveram uma sequência ruim e estão pagando por isso agora", argumentou na época, ao site da ESPN.

Se nem a concretização do descenso constrangeu Love, não seria no Corinthians, maior rival palmeirense, que ele teria receio em celebrar. Três anos depois daquele jogo, o atacante defendeu o seu atual clube num dérbi e voltou a balançar as redes palmeirenses. Em 2015, ele também festejou ao marcar.
Ao todo, já enfrentou o clube que o revelou cinco vezes, com uma vitória, três empates e uma derrota. Anotou três gols.

Nesta sua segunda passagem pelo clube do Parque São Jorge, iniciada em janeiro deste ano, será a primeira vez em que o artilheiro vai enfrentar o Palmeiras. No último duelo entre as equipes, pelo Campeonato Paulista de 2019, ele já estava à disposição do técnico Fábio Carille, mas ficou no banco de reservas.

Sete meses depois, o jogador ganhou posição cativa entre os 11 titulares e disse estar ansioso para jogar o dérbi.

"Eu sou muito grato por ter começado no Palmeiras, por ter chegado ao futebol profissional jogando lá, só que já passou. Hoje, vivo outra história, meu coração é totalmente corintiano", afirmou.

"Não cuspo no prato que comi, porque lá [Palmeiras] foi onde eu pude ir para fora do país, conquistar títulos, seleção brasileira, mas hoje eu estou muito feliz de estar no Corinthians", acrescentou.

Parte de sua felicidade se deve à vitória na disputa com Gustavo e Boselli por uma vaga no ataque corintiano. Carille iniciou a temporada com Gustavo como titular. Quando ele se lesionou, deu oportunidades para o argentino, que teve dificuldades para se adaptar e perdeu a vaga no time.

Quando a oportunidade surgiu para Love, ele aproveitou. Já é o vice-artilheiro da equipe na temporada, com nove gols, um a menos do que Gustavo, que não marca desde o dia 23 de maio, quando anotou diante do Deportivo Lara (VEN), pela Sul-Americana.

O crescimento do camisa 9 está diretamente ligado à evolução do Corinthians após a pausa para a Copa América. E dois fatores foram determinantes para isso. A entrada do zagueiro Gil na defesa, que deu segurança à equipe, e as grandes atuações de Pedrinho, responsável por ditar o ritmo do ataque.

"Está muito definida a forma de jogar, o time se desenhou com um centroavante. Estou com três atacantes que sabem fazer gol, Love e Gustavo mais brigadores, e Boselli, mais técnico", afirmou Carille.
Neste domingo, o Corinthians terá o seu principal teste dentro dessa sequência positiva da equipe, invicta há cinco jogos e em ascensão na tabela do Campeonato Brasileiro. 

"O grupo está entendendo aquilo que o professor está pedindo para gente, isso faz com que os resultados venham", reconhece Love.

Diante de seus maiores rivais, aliás, a equipe do Parque São Jorge tem um aproveitamento de 63% dos pontos que disputou, com cinco vitórias, dois empates e duas derrotas. 

O Palmeiras foi justamente o time que o Corinthians menos enfrentou até aqui, com um único confronto, pela primeira fase do Campeonato Paulista, quando o corintiano Danilo Avelar marcou o gol do jogo, sob os olhares de Love, no banco de reservas.

O Palmeiras, por sua vez, soma 47,6% de aproveitamento, com duas vitórias, quatro empates e uma derrota diante de seus maiores rivais este ano.

Vágner Love, 35
Está na sua segunda passagem pelo Corinthians. No clube, foi campeão brasileiro em 2015. Antes defendeu Palmeiras, CSKA, Flamengo, Monaco. 

histórico no dérbi
Pelo Palmeiras: 1 vitória, 
1 derrota e 1 empate; marcou 1 gol

Pelo Corinthians: 
2 empates; 1 gol

CORINTHIANS x PALMEIRAS
19h, no Itaquerão
Na TV: Globo

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.