Descrição de chapéu São Paulo

Com Leco, São Paulo tem média de mais de três técnicos por ano

Cuca deixou a equipe, que teve 14 trocas de treinadores na atual gestão

São Paulo

Quando apresentou Cuca como técnico do São Paulo, em fevereiro, o presidente do clube, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, disse que gostaria de ter tido um apenas técnico desde outubro de 2015, quando começou a sua gestão. Passou longe disso

Com a saída de Cuca, confirmada nesta quarta-feira (26), a gestão do atual presidente acumula 14 trocas de treinadores. No jogo de sábado (28), contra o Flamengo, no Maracanã, o time será comandado por Vágner Mancini, que assume como interino.  

No período com Leco à frente do São Paulo, o clube teve oito treinadores contratados. Além deles, outros profissionais assumiram de forma interina o comando da equipe cinco vezes.

Leco, presidente do São Paulo desde outubro de 2015, no setor térreo das arquibancadas do Morumbi
Leco, presidente do São Paulo desde outubro de 2015, no setor térreo das arquibancadas do Morumbi - Gabriela Di Bella - 18.jan.2016/Folhapress

Nenhum outro dos três principais times do estado de São Paulo passou por tantas mudanças desde 2015. O Palmeiras trocou de treinador nove vezes. O alviverde teve interinos em duas ocasiões no período. Santos e Corinthians mudaram de técnico oito vezes, cada, desde o final de 2015. 

Leco assumiu o São Paulo após a saída de Carlos Miguel Aidar, que renunciou da direção em meio a uma série de denúncias de corrupção envolvendo sua administração.

O atual presidente demitiu Doriva, que ficou apenas sete jogos no cargo, em 2015. Milton Cruz comandou a equipe até o final daquela temporada.

Para 2016, Leco trouxe o bicampeão da Libertadores Edgardo Bauza. O argentino conduziu o São Paulo à semifinal do torneio continental naquele ano, eliminado para o Atlético Nacional, que seria campeão.

Deixou o time em outubro, para assumir a seleção da Argentina, mas é o nome que mais tempo ficou à frente da equipe com o atual presidente (48 jogos).

Desde então, passaram pela beira do gramado são-paulino: André Jardine (2016), Ricardo Gomes (2016), Pintado (2016), Rogério Ceni (2017), Pintado (2017), Dorival Júnior (2017-2018), Diego Aguirre (2018) e André Jardine (2018-2019), Mancini (2019) e Cuca (2019).

Ídolo do São Paulo como jogador, Ceni foi o que externou maior descontentamento com o cartola após a demissão.

"Ele não se ajustou à dinâmica da nova situação. Como jogador ele era o 'Mito' (...). Com os maus resultados, aquela figura mítica foi, de uma certa forma, se embaçando", disse o presidente dois meses após demitir Ceni.

 

"É o momento de continuar uma nova carreira. Eu, se fosse o presidente, não me procuraria. E eu também não aceitaria um convite vindo dele", respondeu o já treinador do Fortaleza.

Dentre os nomes que comandaram o São Paulo de Leco, o ex-jogador Pintado foi duas vezes interino. André Jardine, que também assumiu a equipe temporariamente tanto em 2016 quanto dois anos depois, foi efetivado no final do ano passado, e demitido em fevereiro de 2019.

"Infelizmente meu estilo não casou. Que venha outro profissional para tirar mais", disse Cuca na coletiva em que anunciou sua demissão.

Durante a tarde desta quinta, o diretor de futebol, Raí, chegou a anunciar que, na próxima partida —sábado (28), contra o Flamengo—, Vagner Mancini comandaria a equipe provisoriamente. O coordenador técnico, no entanto, anunciou sua demissão durante a noite, após o clube anunciar a contratação de Fernando Diniz para substituir o antigo treinador.

Mancini chegou a ocupar o posto de interino da equipe entre fevereiro e abril. No período, Cuca já tinha assinado contrato com o clube, mas ainda não tinha liberação médica para trabalhar, já que estava se recuperando de um problema no coração.

Como técnico substituto, Mancini comandou o time em nove partidas. Teve duas derrotas nos clássicos contra Corinthians e Palmeiras, na primeira fase do Campeonato Paulista.

Classificou o São Paulo para o mata-mata do torneio com mais três empates e uma vitória. Nas quartas de final, o time venceu duas vezes o Ituano e empatou a primeira partida da semifinal contra o Palmeiras (0 a 0).

A equipe tricolor avançou à decisão com nova igualdade no jogo de volta, nos pênaltis, mas já com Cuca à beira do gramado.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.