Game da Fifa compara lendas e tem Zidane melhor que Garrincha

Os dois terão cartas especiais em nova edição do jogo

Luciano Trindade
São Paulo

Brasil e França cultivam uma rivalidade antiga no futebol. Em Copas do Mundos, os dois países já se encontraram quatro vezes, com vantagem para os europeus, que venceram três. Esse histórico costuma gerar comparações entre jogadores brasileiros e franceses. 

O novo game Fifa vai entrar nesta discussão. A disputa, porém, é entre jogadores que atuaram e posições e épocas distintas- Garrincha ou Zidane, quem foi melhor?

Dentro do jogo, o francês leva vantagem. Ele ganhou uma carta especial, destinada a ídolos, com uma nota 96, superior à avaliação atribuída ao ex-atacante, que recebeu 94. 

Os dois estão entre os 14 novos ex-jogadores incluídos no Fifa 20. Eles se juntam a nomes como Pelé (99), Maradona (98) e Ronaldo (97), presentes em edições anteriores.

Na apresentação de Zidane, a EA Sports, produtora do game, destaca a atuação dele na final da Copa do Mundo de 1998, quando ele fez dois gols sobre o Brasil e ajudou os franceses a ficarem com o título. "A habilidade e técnica de classe fizeram o futebol parecer estranhamente fácil", descreve.

Garrincha teve exaltada sua longevidade no Botafogo, onde atuou por 13 temporadas, além das atuações nas duas Copas do Mundo que conquistou, em 1958 e 1962, ambas em parceria com Pelé. "O Brasil nunca perdeu uma partida com Garrincha e Pelé jogando juntos."

Ao lançar cartas como essas, a produtora aposta novamente na rivalidade entre os torcedores de cada país para promover o jogo. Na edição passada, havia cartas especiais que destacavam o auge da carreira de grandes craques. Elas foram usadas, por exemplo, para reascender o debate sobre quem foi melhor entre Pelé e Maradona.

No mundo virtual, o brasileiro superou o argentino. Em 2000, a Fifa fez uma eleição para definir o maior jogador do século e, na ocasião, dividiu o prêmio entre Pelé e Maradona, fato que gerou polêmica.

A divisão irritou o argentino, que venceu uma votação aberta na internet, com 53,6% dos votos, contra 18,53% de Pelé. Outros jogadores também foram citados.

Uma comissão de ex-jogadores, da qual Pelé era parte, não concordou com o resultado e a Fifa fez uma outra votação paralela, desta vez, através da "Fifa Magazine", periódico publicado pela entidade em várias línguas. Nesta nova eleição, o Rei do Futebol obteve 72,75% contra 6% de Maradona.

A discussão nunca teve um ponto final.

Capitão do tri, Carlos Alberto Torres é outro nome brasileiro que estará presente no jogo. A EA destacou o fato de ele ter marcado um dos gols da final de 1970, contra a Itália, e lhe atribuiu uma nota 93.

Atual técnico do Manchester City, Pep Guardiola será representado como treinador e jogador nesta edição. Com uma carta 90, o espanhol foi lembrado por suas atuações pelo Barcelona na década de 90. 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.