Goleiro que sofreu o milésimo gol de Pelé, Andrada morre aos 80

Argentino defendeu o Vasco e o Vitória em sua passagem pelo Brasil

São Paulo

Morreu, na última quarta-feira (4), na Argentina, o ex-goleiro Edgardo Andrada, 80. Não foi divulgada a causa da morte do ex-jogador, que defendeu Vasco e Vitória em sua passagem pelo futebol brasileiro. Ele ficou marcado por sofrer o milésimo gol de Pelé, em cobrança de pênalti, no Maracanã, em 19 de novembro de 1969.

Ficou na história a imagem do argentino socando o gramado do estádio carioca enquanto o craque celebrava o gol histórico. O guarda-metas vascaíno acertou o canto da batida do camisa 10 do Santos, mas não evitou que a rede fosse balançada nem que o campo fosse invadido na festa do rei do futebol.

 
Andrada exibe as mãos que não conseguiram impedir o milésimo gol de Pelé - Reprodução

Aquele era o primeiro ano de Andrada no Vasco, clube que ele defenderia até 1975, participando das campanhas vitoriosas no Campeonato Carioca de 1970 e no Campeonato Brasileiro de 1974. Ele ainda vestiu a camisa do Vitória, em 1976, antes de voltar a seu país e encerrar a carreira no Colón.

Sua trajetória foi iniciada no Rosario Central, onde ganhou o apelido El Gato e se tornou ídolo. Com 284 partidas em dez anos, ele é o atleta da posição que mais vezes jogou pelo time. Nascido em Rosário, o jogador também atuou pela seleção argentina na Copa América de 1963 —a equipe ficou na terceira colocação.

Após deixar o futebol, em 1982, Andrada contribuiu com o PCI (Pessoal Civil de Inteligência), órgão que participava da espionagem e da repressão na ditadura militar da Argentina. Foi acusado de ter participado da execução de dois militantes políticos. Ele negou e foi absolvido em julgamento no país.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.