Descrição de chapéu The New York Times

Mentir altura é normal na NBA, que tenta pegar trapaceiros

Parceiros da liga questionam transparência e precisão nos dados divulgados

Marc Stein
Nova York | The New York Times

Kevin Durant, astro do Brooklyn Nets, vai em breve crescer cinco ou seis centímetros, enquanto Kemba Walker, do Boston Celtics, J.J. Barea, do Dallas Mavericks, e outros provavelmente perderão mais ou menos o mesmo tanto de estatura.

As alturas oficiais dos jogadores da NBA há muito tempo vêm sendo tratadas mais como arte do que como ciência, mas a liga notificou os times esta semana de que eles terão a obrigação de certificar a altura e a idade de cada jogador já na primeira semana de preparação na pré-temporada, de acordo com quatro pessoas informadas sobre a nova regra.

A NBA está determinada a enfatizar a "integridade da informação" que divulga publicamente, e por isso as administrações dos times foram informadas que a altura dos jogadores deve ser confirmada pelo médico da equipe e suas idades confirmadas pela apresentação de carteiras de habilitação ou passaportes à direção da liga.

Kevin Durant, astro do Brooklin Nets
Kevin Durant, astro do Brooklin Nets - Al Bello - 27.jun.2019/AFP

Entre os motivos para o enrijecimento das regras está o caso de Buddy Hield, do Sacramento Kings, cuja idade estava registrada incorretamente, como a NBA descobriu em dezembro de 2018.

Hield revelou em 17 de dezembro —seu aniversário— que ele acabava de completar 26 anos, e não 25, a idade que lhe era atribuída por quase todos. O atleta insistiu que nunca mentiu a respeito e que os sites de notícias é que erraram ao divulgar seu ano de nascimento.

A nova regra tem por objetivo eliminar esse tipo de discrepância.

"Um processo coerente foi criado para garantir a integridade e precisão dos dados sobre os elencos dos times", disse Mike Bass, porta-voz da NBA.

Em entrevista à Bloomberg, em junho, Mark Tatum, o comissário assistente da NBA disse que os torcedores e parceiros de negócios questionariam a transparência da liga se ela não fosse capaz de garantir a precisão dos dados divulgados publicamente de maneira rotineira, como a altura e idade dos jogadores.

"Nesse novo mundo em que vivemos, a integridade dessa informação é crítica", afirmou Tatum. "Essa informação deve ser divulgada, e é algo a que estamos dedicando atenção. Agora que apostas esportivas se tornaram legais, a precisão das informações terá muita, muito mais importância do que no passado".

As informações biográficas sobre os jogadores da NBA sempre foram imprecisas, ao longo da história da liga. Alguns jogadores, como Charles Barkley (1,98 metro), que é parte do Hall da Fama do basquete, e Draymond Green (2,01 metros), do Golden State Warriors, em geral tinham suas alturas estimadas como maiores do que são, para rebater a percepção de que são baixos demais para as posições em que jogam.

As alturas de alguns dos armadores mais baixos, como Walker (1,85 metro), Barea (1,83 metro), e Allen Iverson, outro integrante do Hall da Fama, também são vistas como superestimadas.

Outros, como um trio de astros já aposentados, insistiam em ter sua altura registrada como 2,11 metros, uma polegada abaixo da altura de sete pés (2,13 metros), que os forçaria a jogar na posição de pivôs de garrafão. O mesmo vale para Durant, cuja altura é mencionada como 2,06 metros.

Kevin Durant (mais à direita) e DeMarcus Cousins (mais à esquerda) com outros jogadores do elenco do Golden State Warriors de 2018
Kevin Durant (mais à direita) e DeMarcus Cousins (mais à esquerda) com outros jogadores do elenco do Golden State Warriors de 2018 - Ezra Shaw - 24.set.2018/AFP

Em 2016, quando DeMarcus Cousins se uniu a Durant na seleção americana que disputou a Olimpíada do Rio de Janeiro, Cousins brincou abertamente com os jornalistas afirmando que a proximidade entre eles estava expondo que as alturas anunciadas para ambos eram mentira.

"Eu vivo dizendo para ele não parar do meu lado, cara", brincou Cousins com um repórter da SNY.tv. "Acho que as pessoas estão começando a reparar. Eu devo ter 2,01 metro, e ele tem 2,13 metros, fácil, fácil".

Durant explicou a situação ao The Wall Street Journal, dizendo que "para mim, quando estou conversando com uma mulher, digo que tenho 2,13 metros. No mundo do basquete, tenho 2,06 metros. A verdade é que sempre achei bacana dizer que sou um ala arremessador de 2,06 metros. Porque se minha altura for anunciada como mais alta, vão dizer que sou ala de força".

Kent Wifp, que por muito tempo foi diretor de relações públicas do Minnesota Timberwolves, postou quinta-feira no Twitter que Garnett tinha "bem mais" de 2,13 metros, "mas nunca quis ser registrado como mais alto do que 2,11 metros", porque "iam querer escalá-lo como pivô".

"Eu sempre quis descrever a altura dele como 2,10 metros mais seis centímetros, mas não fui autorizado", acrescentou.

Kevin Garnett quando jogava pelo Boston Celtics
Kevin Garnett quando jogava pelo Boston Celtics - Jim Rogash - 7.jun.2011/AFP

Exagerar a altura é comum no basquete universitário dos EUA porque os jogadores querem parecer mais interessantes para os olheiros das categorias superiores. Os times da NBA frequentemente reaproveitam os dados registrados sobre um jogador durante sua carreira universitária, mas a nova determinação é de que os médicos dos times meçam os jogadores, e que estes estejam descalços durante a medição —como acontece no "combine", a sessão de testes físicos pelos quais os atletas passam antes do draft.

No "combine" do draft de 2007, a altura de Durant foi registrada como 2,11 metros, descalço. Ele tinha 19 anos e estava saindo da Universidade do Texas para se profissionalizar, depois de apenas uma temporada universitária.

Os jogadores contratados para um time na pré-temporada ou durante a competição também terão de ser medidos de acordo com essas regras no máximo uma semana depois de assinarem o acordo com sua equipe. Mas a liga não está insistindo em que os times meçam o peso dos jogadores oficialmente, porque ele pode flutuar bastante, afirma uma pessoa informada sobre as novas diretrizes.

"Temos de ter ter uma forma padrão de medição, com todos os jogadores sem sapatos, com as costas retas", Tatum disse à Bloomberg em junho.

Em outra medida adotada recentemente em nome da transparência —mas que também foi interpretada como concessão aos adeptos de jogos de azar—, a NBA anunciou na semana passada que os times teriam de divulgar sua equipe titular pelo menos 30 minutos antes do começo do jogo. Antes, a antecedência requerida era de apenas 10 minutos.

Tradução de Paulo Migliacci

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.