Andy Murray conquista primeiro título após cirurgias no quadril

Tenista escocês, que chegou a planejar aposentadoria, vence torneio na Bélgica

São Paulo

O tenista escocês Andy Murray, 32, conquistou neste domingo (20) seu primeiro título desde março de 2017, ao derrotar o suíço Stan Wawrinka, 34, na final do torneio ATP 250 da Antuérpia.

O triunfo veio após 2 horas e 27 minutos de jogo, de virada por 2 sets a 1 (3/6, 6/4, 6/4). Esse foi o 46º troféu levantado por ele na carreira profissional.

Vencedor de três torneios do Grand Slam (duas vezes em Wimbledon e uma no US Open) e ex-número 1 do mundo, Murray sofria há cerca de 18 meses com uma lesão no quadril quando passou pela sua segunda cirurgia no local, em janeiro deste ano, após participar com muitas dores do Australian Open.

Andy Murray comemora durante a final contra Stan Wawrinka na Bélgica
Andy Murray comemora durante a final contra Stan Wawrinka na Bélgica - John Thys/AFP

Antes mesmo do Grand Slam australiano, o britânico havia dito que planejava se aposentar da carreira de tenista na edição de Wimbledon deste ano. Por esse motivo, chegou a receber homenagens em quadra após perder uma batalha de cinco sets para o espanhol Roberto Bautista Agut na estreia em Melbourne.

Após a segunda cirurgia, porém, ele passou a adotar tom otimista sobre a continuidade da carreira. Voltou ao circuito profissional em agosto e sofreu com derrotas em primeiras rodadas.

Deu um passo atrás e, enquanto os grandes nomes do circuito disputavam o US Open, Murray participou de um torneio de nível challenger na academia de Rafael Nadal em Mallorca.

Em setembro, já com mais ritmo de jogo, passou a emplacar algumas vitórias em torneios ATP, até que nesta semana emendou cinco em sequência para erguer seu primeiro troféu desde Dubai-2017.

Número 243 do ranking mundial até então, ele deve entrar no grupo dos 130 melhores na lista que será divulgada nesta segunda (21).

"Essa é uma das maiores vitórias que já tive. Significa muito. Os últimos anos foram extremamente difíceis", disse Murray. "Tanto eu quanto Stan tivemos muitos problemas de lesão nos últimos dois anos. Incrível voltar a jogar contra ele em uma final como essa."

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.