Ginasta Jade Barbosa se machuca no Mundial, e Brasil fica fora de Tóquio

Simone Biles realiza e batiza dois movimentos inéditos no solo e na trave

São Paulo

O Brasil não conseguiu cumprir sua primeira meta no Mundial de ginástica artística de Stuttgart. Com o 14º lugar, a equipe feminina do país ficou sem vaga na Olimpíada de Tóquio-2020. Os nove países mais bem colocados (com exceção de EUA, China e Rússia, que já tinham garantido vaga) se classificaram para a disputa por times.

O resultado da equipe nacional foi comprometido pela lesão da ginasta brasileira Jade Barbosa, que se machucou em sua primeira apresentação na competição. Ela torceu o tornozelo na aterrissagem do salto.

Com isso, a atleta ficou fora do resto da disputa, o que foi decisivo para a eliminação da equipe. A nota de Jade nas barras assimétricas, forte da atleta, seria importante para o país aumentar sua nota e garantir uma boa posição. O país participou da ginástica artística por equipes nas últimas quatro Olimpíadas.

Jade Barbosa em ação durante o Mundial de ginástica artística
Jade Barbosa em ação durante o Mundial de ginástica artística - Wolfgang Rattay/Reuters
 

Apesar de ter ficado fora da disputa por equipes, as atletas brasileiras ainda podem garantir participação nos Jogos individualmente.

Foi o caso de Flávia Saraiva, que avançou a três finais no Mundial (individual geral, trave e solo, ficando na 11ª,  na 5ª e na 7ª posições, respectivamente) e garantiu a vaga no individual geral.

Como um todo, o destaque do dia foi a americana Simone Biles, principal nome da competição. Ela conseguiu realizar seu principal objetivo: realizar dois novos movimentos, agora batizados em sua homenagem, um na trave e um no solo. O primeiro é um duplo mortal grupado para trás com duas piruetas na saída da trave e o segundo um duplo mortal grupado para trás com tripla pirueta. 

 
 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.