Descrição de chapéu Campeonato Brasileiro

Jovens Tailson e Janderson viram apostas de Santos e Corinthians

Atletas de 20 anos passaram por dificuldades financeiras antes de oportunidades

Klaus Richmond
Santos

Tailson sempre procurava com olhar esperançoso pelo pai em qualquer espaço dos campos de pouca grama em que jogava em Santo André, no ABC paulista, mas raramente o encontrava.

Gelson Santos Gonçalves recolhia latinhas nos estádios enquanto o filho jogava para poder pagar a mensalidade da escolinha. Tailson é o quarto de uma família de dez irmãos, todos acostumados com dias difíceis no bairro Jardim Santo André.

“Às vezes não tinha [dinheiro] nem para comprar pão, mas nunca permiti meus filhos pedindo no farol”, recorda Gelson.

O atacante Tailson, nascido em Santo André, tem origem humilde - Ivan Storti - 16.out.19/Santos FC/Divulgação

A história de dificuldade coincide com a de Janderson. Nascido em Barreiras, no interior da Bahia, foi criado pela avó Maria Xavier em Missão do Aricobé desde os três anos, após a perda precoce da mãe. Muito calado, ajudava a família na roça desde cedo.

“Não gostava de bola. Gostava mesmo de cavalo, de apartar vaca, separar bezerro de vaca para no outro dia meu pai tirar leite”, contou o jogador em vídeo recente divulgado pela Corinthians TV.

As restrições financeiras da infância não impediram os atacantes Janderson e Tailson, ambos de 20 anos, de virarem as principais esperanças de Santos e Corinthians. Os rivais se enfrentam neste sábado (26), às 17h, em Itaquera, pela 28ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Janderson chegou ao Corinthians por empréstimo em agosto do último ano, aprovado por Eduardo Barroca, então técnico do sub-20 e hoje no Atlético-GO.

Agradou rapidamente pela facilidade com que driblava adversários e pela velocidade. Destaque da Copa São Paulo, com cinco assistências, teve a contratação pedida pelo próprio técnico Fabio Carille.

“Ele sempre escutou muito a todos. Já tinha essa velocidade característica, mas me ouviu sobre a questão de tentar não acelerar sempre com a bola”, conta Pedro Medeiros, técnico de Janderson no Joinville, último clube antes da chegada a São Paulo.

A rapidez é uma das boas qualidades do atacante Janderson - Rodrigo Gazzanel - 12.set.19/Ag. Corinthians/Divulgação

​Tailson desembarcou no Santos de forma curiosa. O jogador foi descoberto pelo empresário Zenildo Araújo quase que por acaso.

Zenildo foi levar o filho, da mesma idade de Tailson, para uma avaliação no Grêmio Mauaense, e notou algo diferenciado em um jogador tão jovem, o fato de ser ambidestro. Gravou um vídeo e mostrou ao Santos.

No primeiro dia de avaliações, o pai ligou para o empresário para dizer que Tailson não parava de chorar, que estava com medo.

"Ele chegou a jogar comigo no sub-15 e no sub-17 no mesmo dia. Coloquei ele bem próximo do gol e apresentou um nível técnico fora do comum", lembra o técnico Paulo Roberto Lilló, com quem trabalhou no Mauaense.
  
O responsável pela sua aprovação na Vila Belmiro foi o técnico Aarão Alves, que hoje treina a equipe sub-20 do Shandong Luneng.

“Trabalhamos quase quatro anos juntos, criamos uma relação quase de pai e filho. Ele era muito tímido e calado. Via que aquilo era um bloqueio e o prejudicava. Tinha uma qualidade incrível, ambidestro. A grande preocupação que tinha era que perdesse a timidez”, disse.

Tailson chegou ao Santos em 2014 e estreou como lateral esquerdo em um jogo contra a Portuguesa Santista, pela ausência de um jogador na posição. Janderson, por sua vez, chegou ao Corinthians já “formado”, mas construiu rapidamente a condição de promessa.

O corintiano estreou na equipe profissional em 1º maio, com menos de um ano no clube, na vitória por 1 a 0 sobre a Chapecoense. 

Apesar da precocidade, demorou mais quatro meses para emplacar a primeira chance como titular e só chamou a atenção mais recentemente, no empate por 2 a 2 contra o Goiás, no último dia 16, quando deu uma assistência e ainda fez o seu primeiro gol como profissional.

Tailson já teve um inicio mais fulminante. Escolhido por Sampaoli por uma inesperada ausência de jogadores no setor, acabou estreando como titular e com o gol da vitória por 1 a 0 diante do Vasco. Emplacou uma sequência de quatro jogos e voltou à reserva no último, contra o Atlético-MG.

A dupla de revelações está protegida fora de campo. Recentemente, ambos renovaram contrato. Tailson tem vínculo até julho de 2024 e multa de 100 milhões de euros (cerca de R$ 445 milhões). O contrato de Janderson foi estendido até dezembro de 2023, com valor da multa não revelado.

Para a partida, ainda não há confirmação de que as promessas iniciarão entre os titulares. Sampaoli testou Tailson em um dos treinos fechados desta semana, enquanto Carille também cogita escalar Janderson no lugar de Clayson.

O Corinthians não poderá contar com o próprio treinador no banco de reservas, expulso na derrota por 2 a 1 para o Cruzeiro, no último sábado (19). O auxiliar Leandro da Silva, o Cuca, será o substituto. Além disso, o lateral direito Fagner e o zagueiro Bruno Méndez também cumprem suspensão.

O Santos não contará com o zagueiro Lucas Veríssimo, suspenso pelo terceiro cartão amarelo.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.