Heróis da Libertadores, Jesus e Gabriel não confirmam se ficam no Flamengo

Técnico e jogador foram aclamados pelos mais de 20 mil torcedores da equipe no Monumental de Lima

Lima

Dois principais nomes do Flamengo na conquista da Libertadores, o atacante Gabriel e o técnico português Jorge Jesus não quiseram comentar sobre a permanência no clube em 2020. Ambos foram aclamados pelos mais de 20 mil torcedores da equipe que estiveram neste sábado (23) no estádio Monumental de Lima, onde a equipe venceu de virada o River Plate (ARG) por 2 a 1 na final do torneio.

Gabriel fez os dois gols nos últimos minutos da decisão e ouviu gritos de “fica, Gabigol!”. Jesus foi homenageado várias vezes com música que o chama pela palavra com a qual ficou conhecido na torcida: mister.

“Não é hora de falar sobre isso. Este é o momento de festejar este troféu, que não está ao alcance de todos”, disse o treinador.

Jesus tem contrato com o Flamengo até julho de 2020, mas sempre que questionado sobre a continuidade no próximo ano, não disse nem sim, nem não. Como o acordo é de curta duração, a multa rescisória não é alta.

Gabriel está emprestado pela Internazionale (ITA) até 31 de dezembro e a equipe italiana deseja vendê-lo. O clube carioca aceita comprá-lo e afirma já ter uma negociação em andamento. Seria necessário chegar a um acerto salarial com o atacante, artilheiro do Brasileiro deste ano (22 gols) e da Libertadores (9).

“O Gabriel nos disse que vai querer conversar com isso no final do ano e vamos respeitar. Se ele quiser conversar agora, conversaremos. Se quer esperar, esperaremos”, afirma o presidente Rodolfo Landim.

Um dos motivos para o atacante desejar aguardar algumas semanas é o Mundial de Clubes no próximo mês e a chance de se destacar em um torneio mais visto na Europa do que a Libertadores. Suas passagens pela Internazionale e pelo Benfica-POR (por empréstimo) foram ruins e com seis gols marcados em duas temporadas.

Embora ele não diga que vai permanecer na Gávea, acredita que o Flamengo está começando uma era de títulos que pode fazer com que se iguale à história do Santos, clube que o revelou.

“Com todo respeito aos outros, o Santos tem a maior história do Brasil porque parou uma guerra e teve Pelé, então é muito grande. Mas o Flamengo vem caminhando para ser o maior do Brasil pela torcida e pelo que ainda vai ganhar. Vai começar uma era que o Flamengo vai dominar, pela estrutura que tem”, opina.

Jesus pode fazer parte desse processo e de talvez disputar uma nova Libertadores. Torneio que acredita precisar ser mais valorizado.

“Argentinos e brasileiros fabricam os melhores jogadores. Esta final [entre Flamengo e River] teve nível de Champions League. Teve mais conteúdo técnico, tático e colorido na torcida do que Liverpool e Tottenham [que decidiram o torneio europeu neste ano]”, analisou.

 
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.