Entenda a punição à Rússia por doping e suas consequências

País é banido por quatro anos de competições esportivas internacionais

Andrew Keh Tariq Panja
The New York Times

Nesta segunda-feira (9), a Wada divulgou que a Rússia está banida de competições internacionais do esporte por quatro anos.

Por quase uma década, dramas ligados ao amplo aparato de doping russo lançaram uma sombra sinistra sobre algumas das maiores competições esportivas do planeta. A cada vez que o escândalo parece estar desaparecendo, ele recomeça. Para algumas pessoas, portanto, essa corrente contínua de acusações, investigações e negações terminou por se transformar em um grande borrão.

Não se preocupe. Estamos aqui para responder as perguntas mais prementes sobre o episódio de doping mais recente, para que você possa compreender o caso.

O que aconteceu desta vez? Em janeiro, como parte de um esforço para forçar a Rússia a cumprir as regras mundiais sobre doping, investigadores da Wada foram a Moscou para recolher resultados de um laboratório que ocupa posição central no escândalo iniciado anos atrás. Não foi uma operação realizada de surpresa; as autoridades russas haviam concordado em fornecer os dados.
 
Como a visita transcorreu? Não muito bem. Depois de anos de escândalos de doping e punições —no caso mais escancarado, amostras de urina de atletas russos que competiram, na Olimpíada de Inverno de Sochi eram passadas por um buraco na parede do laboratório para serem alteradas —, a Rússia aparentemente tinha todos os motivos para manter tudo regular diante dos investigadores naquela visita. Mas em setembro já havia se tornado claro que número significativo de resultados haviam sido alterados ou apagados nos dados entregues pelos russos à Wada, para encobrir dezenas de potenciais violações das regras antidoping.
 
O que foi determinado pela Wada? Que a Rússia fique banida de competições esportivas durante quatro anos, até 2023. No período, serão disputados os Jogos Olímpicos de Tóquio e a Copa do Mundo de 2022, no Qatar.

A Rússia é reincidente em casos de doping? Sim. Rumores sobre doping sistemático na Rússia, no começo da década, levaram à exposição de um imenso programa de doping, que conduziu a mais revelações e sérias punições. Isso resultou em um acordo negociado que permitiu que os russos competissem na Rio-2016 e nos Jogos de Inverno de Pyeongchang, gerando a mais recente tentativa de acobertamento, e pedidos de punição ainda mais severa.
 
Atletas de outros países não usam doping? Com certeza, usam e são apanhados ao fazê-lo. Mas muita gente se dopa e escapa impune. No caso russo, o país foi pego violando regras em escala maciça. Para oferecer alguma perspectiva, a Rússia teve 43 medalhas olímpicas canceladas por violações de normas de antidoping, o que representa mais de um terço do total mundial de revogações.
 
A Rússia aceitará as penalidades? Isso parece improvável. O próximo passo para a Rússia será recorrer da decisão junto ao TAS (Corte Arbitral do Esporte), na Suíça. Os russos podem até ganhar.

 

Tradução de Paulo Migliacci

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.