Descrição de chapéu Mundial de Clubes 2019

No sufoco, Liverpool vence e repete final do Mundial com Flamengo

Ingleses bateram o Monterrey por 2 a 1, gols de Keita e Firmino

Doha

O Liverpool (ING) sofreu, correu riscos, mas, com os titulares em campo, venceu o Monterrey (MEX) por 2 a 1 nesta quarta-feira (18), em Doha, e avançou para a final do Mundial de Clubes.

O time inglês enfrenta o Flamengo na decisão, no sábado (21), reeditando o confronto de 1981, no qual os rubro-negros ficaram com o título. O gol da vitória diante dos mexicanos foi marcado por Roberto Firmino já nos acréscimos do 2º tempo.

Jogadores do Liverpool comemoram gol diante do Monterrey, na semifinal do Mundial
Jogadores do Liverpool comemoram gol diante do Monterrey, na semifinal do Mundial - Giuseppe Cacace/AFP

Apesar do discurso de que valorizaria a competição e que ela seria uma prioridade do Liverpool, Jürgen Klopp mandou a campo uma equipe quase reserva.

Dos titulares, apenas o goleiro Alisson, o lateral esquerdo Robertson e o atacante Salah foram a campo desde o início. O volante Milner, que se alterna entre titular e reserva, começou a partida, mas na ala direita. Henderson, meia, entrou como zagueiro. Ele jamais havia atuado nessa posição.

Não escalar Salah seria um duro golpe para a organização do torneio. O egípcio, um dos maiores ídolos muçulmanos do esporte, é o principal nome do Mundial de Clubes do Qatar e motivo para o Khalifa International Stadium ter quase lotação máxima (foram 45.416 pessoas de uma capacidade de 50 mil), o que não aconteceu no confronto entre Flamengo e Al-Hilal (ARS).

Mesmo com o time recheado de reservas e com Mané e Firmino no banco, o Liverpool marcou primeiro –em passe magistral de Salah para Keita anotar– e teve outras chances. Quase todas com o autor do gol, que aparecia por trás da zaga sem marcação.

Com seu sistema de troca de passes constantes e deslocamentos, os ingleses criavam problemas para o Monterrey, mas davam espaços. Sem o zagueiro Virgil van Dijk, os europeus eram frágeis na área. Os mexicanos empataram com o argentino Rogélio Funes Mori, após rebote de Alisson e o ex-são-paulino Pabón levar vantagem sobre Robertson.

O jogo caiu no segundo tempo e, a partir dos 20 minutos, Klopp começou a colocar mais titulares. Entraram o atacante Mané e o lateral Alexander-Arnold. Firmino entrou no final. As duas equipes tinham espaços para atacar, mas faltava sempre precisão no passe final. Salah era bem marcado pelos defensores Sanchez e Montes.

Origi teve uma oportunidade aos 27, mas não conseguiu acertar a direção do gol. Antes disso, Keita ficou de frente para o goleiro, mas chutou na direção dele e não no canto.

A condição física do time mexicano foi se deteriorando no final do jogo, e o time começou a ser pressionado mais e mais pelo Liverpool. Mas o Monterrey parecia que resistiria e levaria o jogo para a prorrogação. Só parecia. Nos acréscimos, jogada de Salah e cruzamento de Alexander-Arnold deixou Firmino em condições de desviar para o gol e colocar os ingleses na decisão.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.