No Havaí, Mundial de Surfe tem disputa por título e vagas olímpicas

Italo Ferreira lidera o campeonato, mas Gabriel Medina e Filipe Toledo ainda têm chances

São Paulo

A última etapa da temporada 2019 da Liga Mundial de Surfe (WSL), no Havaí, a partir deste domingo (8), terá dois grandes atrativos: uma briga pelo título envolvendo cinco concorrentes e a batalha entre 3 surfistas brasileiros pelas 2 vagas olímpicas destinadas ao país.

A janela de competições vai até o dia 20 de dezembro, e as baterias são programadas de acordo com as condições do mar. Os canais ESPN, além da página do Facebook da WSL, transmitem todas as fases da disputa.

Na luta pelo troféu de campeão mundial, a vantagem é do potiguar Italo Ferreira, 25, que lidera o ranking com 51.070 pontos. O paulista Gabriel Medina, 25, está na vice-liderança, com 50.005, seguido pelo sul-africano Jordy Smith, 31, e pelo também paulista Filipe Toledo, 24.

O americano Kolohe Andino, 25, quinto colocado, ainda tem chances matemáticas, mas depende de uma combinação improvável de resultados.

No caso dos brasileiros, qualquer um que triunfe na etapa de Pipeline se consagrará campeão da temporada. Caso não enfrente um compatriota na final, Italo também pode comemorar o título com um vice no Havaí. 

Há várias combinações possíveis de resultados, mas o potiguar sempre leva vantagem por estar na ponta.

A derradeira disputa de 2019 também decidirá qual dos três brasileiros ficará fora da Olimpíada de Tóquio-2020, quando o esporte fará sua estreia no evento. O trio já teria pontuação suficiente para se classificar entre os oito melhores da WSL caso não houvesse o limite de participantes por nação nos Jogos Olímpicos.

Dois vitoriosos atletas dos Estados Unidos também passarão por situação semelhante, com Andino já garantido em Tóquio.

O bicampeão John John Florence, 27, tentará competir no quintal de casa após perder cinco etapas por lesão no joelho. Ele precisou passar por cirurgia no início de julho. Essa é a segunda temporada consecutiva em que Florence abandona as chances de título pelo mesmo motivo.

O surfista havaiano atualmente ocupa a oitava posição do ranking e levaria a segunda vaga do país, mas ainda pode ser ultrapassado pelo 11 vezes campeão mundial Kelly Slater, 47, décimo colocado. Também havaiano, Seth Moniz (12º) corre por fora na disputa americana.

Entre as mulheres, a temporada foi encerrada na última semana, com o tetracampeonato da havaiana Carissa Moore, 27. A gaúcha criada no Havaí Tatiana Weston-Webb, 23, e a cearense Silvana Lima, 35, se classificaram para representar o Brasil na Olimpíada de Tóquio.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.