Torcedora símbolo do Cruzeiro, Dona Salomé morre aos 86 anos

Vítima de problema cardíaco, ela passou mal durante jogo que rebaixou o clube

Belo Horizonte

“Quando o Cruzeiro perde, tenho que contar tudo para os outros, chorar, desabafar e rezar, pedir a Deus para ajudar, para eles vencerem, para a gente não chorar mais."

Assim Maria Salomé da Silva, 86, definiu sua relação com o clube mineiro, em um vídeo gravado pelo jornal Estado de Minas em 2017.

Torcedora símbolo das arquibancadas celestes, Dona Salomé, como é conhecida, morreu na madrugada desta terça-feira (10), menos de 48 horas depois do primeiro rebaixamento da história do seu time, por causa de um problema cardíaco.

 

Ao site G1, o filho dela, Roberto da Silva, 61, contou que a mãe começou a passar mal no Mineirão, no domingo, durante a derrota para o Palmeiras que decretou a queda da equipe à Série B do Campeonato Brasileiro.

Segundo o filho, ela foi socorrida pelos Bombeiros, e o mal-estar não estava relacionado à confusão promovida por torcedores ao fim da partida, que foi encerrada antes do tempo normal de jogo.

Salomé foi funcionária do Cruzeiro por quase 27 anos. Trabalhava como faxineira na sede do clube no bairro Barro Preto, zona central da capital mineira, e não perdia os seus jogos. Viajava em partidas por todo o país, acompanhando muitas vezes a Máfia Azul, maior torcida organizada cruzeirense. 

No estádio Mineirão, carregava uma raposa de pelúcia debaixo do braço e não media palavras para reclamar de juízes que não lhe pareciam justos com o time.

Na semana passada, a Polícia Militar de Minas Gerais registrou uma ocorrência, dizendo que ela havia sido agredida por torcedores do rival Atlético-MG, após uma partida de vôlei de seu clube. A própria Salomé negou essa informação, alegando que caiu durante uma confusão entre torcedores no local.

O Cruzeiro mudou a foto de seus perfis nas redes sociais para uma imagem de Salomé, sorrindo, com a camisa do time e uma boneca de pano.

Em uma das publicações, o time diz que a morte de Salomé deixou órfãos os nove milhões de torcedores cruzeirenses e prestou solidariedade à família.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.