Fãs dos Lakers se mobilizam para prestar última homenagem a Kobe

Aeronave em que o ex-jogador estava caiu em Calabasas, na Califórnia

Calabasas (EUA)

Centenas de pessoas, muitas vestidas com camisetas do Lakers e outras levando flores, se reuniram num parque em Calabasas com vista para as montanhas onde o helicóptero de Kobe Bryant caiu neste domingo (26).

Muito de longe, ainda era possível ver fumaça. Robert Rinaldi, morador da região, compartilhava um binóculos com os presentes. "Quando ouvi os helicópteros, corri para ver o que era. Tinha muita fumaça. Não tinha ideia ainda que era Kobe", disse o angeleno, representante de vinhos e surfista.

​"Sou fã dos Lakers muito antes do Kobe, mas é triste demais, ainda mais para os jovens que cresceram com ele."

O helicóptero em que o ex-jogador estava pegou fogo e caiu por volta das 10h no horário local (15h no horário de Brasília). Inicialmente, foi divulgado pela polícia da cidade que cinco pessoas haviam morrido no acidente, mas, mais tarde, o corpo de bombeiros de Calabasas anunciou que a aeronave carregava no total nove pessoas. 

Uma das filhas de Bryant, Gianna, 13, também estava no helicóptero. O departamento de polícia local confirmou que todos os ocupantes da aeronave morreram. ​ 

Equipes de TV compartilhavam o espaço com fãs e curiosos que tentavam enxergar onde estavam os destroços. Pelo binóculo, dava para ver pessoas trabalhando no local e marcas brancas perto da fumaça que poderiam ser partes do helicóptero.

As montanhas de Santa Monica, a uma hora de carro de Hollywood, são as mesmas que queimaram durante os incêndios do final de 2018.

A dona de casa Nicole Portillo veio com os filhos de 9, 15 e 16 anos, todos vestidos de Lakers. Seu marido, Daniel, fez questão de mostrar sua tatuagem na panturrilha, além das meias, calças, tênis, jaqueta e boné, tudo amarelo e roxo, cores do time.

"É como se um membro da família tivesse morrido. Quis vir aqui para ter certeza, para me despedir, prestar minha homenagem", disse Portillo, que dirigiu mais de uma hora até Calabasas. "Noite passada ainda estávamos falando dele, sobre o LeBron James ter passado seu recorde. Tudo muito de cortar o coração."

A professora e atriz Frances Welter veio com o marido e procurava um lugar para deixar suas flores roxas. "Achei a cor adequada, e essas aqui duram bastante", disse.

Ao seu lado, uma mulher numa cadeira de rodas lia a bíblia em voz alta. "Estava rezando em casa, mas achei que a energia aqui seria melhor e talvez pudesse trazer uma palavra de consolo para essas pessoas. Estamos todos arrasados", disse Phyllis Kelly, 61. "Rezo também para abençoar as vítimas, para que elas possam ir em paz."

Alguns fãs choravam, outros se abraçavam e muitos tiravam fotos da multidão e dos jornalistas de TV.

Paul Dushikyam, vendedor de seguro, estava todo vestido de Lakers e os olhos cheio d'àgua. "Ele era a inspiração da minha vida", disse o armênio de 23 anos, ex-jogador de basquete. "Ainda não processei, ainda quero acreditar que é mentira. É insano demais."

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.