Descrição de chapéu The New York Times

Incêndios deixam tenistas em alerta às vésperas do Australian Open

Qualidade do ar preocupa atletas que jogarão primeiro Grand Slam do ano

Ben Rothenberg
Brisbane | The New York Times

A menos de três semanas da abertura do Aberto da Austrália, os incêndios que estão devastando o sudeste do país já forçaram um torneio de tênis masculino de segunda linha a mudar de sede e despertaram preocupações quanto a possíveis problemas no primeiro torneio de Grand Slam do ano.

Com pelo menos 24 pessoas mortas e centenas de casas destruídas pelos incêndios, e o vento soprando fumaça na direção de diversas grandes áreas metropolitanas, entre as quais Melbourne, a sede do Australian Open, o tênis se tornou uma preocupação menor, em lugar de manter seu posto habitual como peça central do verão australiano.

Classificando sua decisão como “sem precedentes”, a Tennis Australia anunciou na sexta-feira (3) a transferência do torneio Canberra International, que deveria ter começado na segunda-feira na capital australiana.

O torneio foi transferido para a cidade de Bendigo, no estado de Victoria, cerca de 640 quilômetros a sudoeste de Camberra e duas horas a noroeste de Melbourne. A qualidade do ar em Camberra foi classificada como a pior entre todas as cidades do planeta e foi considerada insuficiente para realizar o torneio mesmo em quadras cobertas.

Liam Broady, um tenista britânico classificado no 240º lugar do ranking masculino da Associação de Tênis Profissional (ATP), era um dos mais de 100 tenistas que planejavam iniciar a temporada 2020 no torneio de Camberra, parte da Challenger Tour.

Ao chegar, ele encontrou as ruas da cidade praticamente desertas e o ar repleto de poeira espessa que o sol não conseguia penetrar, o que deixou a cidade escura no final da tarde.

As condições em Melbourne, que sedia o Aberto da Austrália, flutuaram na semana passada, chegando ao seu pior ponto na sexta-feira, quando a cidade estava entre as áreas afetadas pelo incêndio de East Gippsland, por conta do vento predominante. Os ventos incertos da região em alguns momentos carregaram fumaça dos incêndios próximos para a cidade.

Dennis Kudla, tenista americano que treinou em Melbourne na sexta-feira antes de viajar para Bendigo, disse que não conseguia inalar e exalar completamente sem tossir, durante seus treinos.

“Se as coisas forem parecidas com as de ontem, não creio que seria seguro jogar aqui, por um período de duas a três semanas”, disse Kudla sobre as condições potenciais do Australian Open. “Talvez seja possível jogar, mas quem sabe que danos estaríamos causando à nossa saúde, assim? Bem isso não pode fazer”.

As duas semanas de jogos nas chaves principais do Australian Open devem começar dia 20 de janeiro; as rodadas classificatórias do torneio começam uma semana antes.

Novak Djokovic, que venceu o Australian Open sete vezes e é presidente do conselho de jogadores da ATP, disse no sábado que ele planejava incluir considerações quanto à qualidade do ar na agenda da reunião de jogadores antes do início do torneio. O tópico já foi colocado em debate no passado, com relação a jogar em condições de forte poluição do ar na China.

“Se as coisas continuarem como estão e a qualidade do ar for afetada em Melbourne ou Sydney, acho que a Tennis Australia será forçada a, imagino, criar algumas regras a respeito”, disse Djokovic.

Os dirigentes do tênis australiano já disseram que não planejam transferir outros torneios, mas “reservaram recursos adicionais substanciais” para monitorar a qualidade do ar, afirmou Craig Tilley, diretor do Australian Open e presidente-executivo da Tennis Australia, em comunicado distribuído no final de semana.

“Avaliar a probabilidade de interrupções causadas pela fumaça será conduzido mais ou menos como lidamos com a chuva e o calor”, acrescentou Tilley. “Temos especialistas que analisam todos os dados atualizados disponíveis sobre os locais de jogos, o mais rápido possível, e consultam regularmente os dirigentes dos torneios e, em caso de calor e fumaça, especialistas médicos."

Ele prosseguiu: “A saúde dos jogadores, torcedores e de nosso pessoal é uma prioridade permanente, e continuaremos a tomar essas decisões tendo isso em mente”.

Sydney é a cidade mais afetada, entre as que sediam torneios de tênis nesta semana. A ATP Cup, uma nova competição entre equipes, começou na sexta-feira com partidas de rodadas iniciais disputadas em Sydney, Brisbane e Perth. As rodadas de mata-mata serão jogadas em Sydney a partir da quinta-feira (9).

Tim Henman, capitão da equipe britânica que está participando do torneio, minimizou o impacto sobre seus jogadores, “no contexto daquilo que este país está sofrendo”.

O efeito sobre as cidades depende muito da direção em que o vento esteja soprando. Com ventos desfavoráveis na sexta-feira, as condições eram ruins o bastante para acionar os detectores de fumaça no AAMI Park de Melbourne durante um jogo de futebol entre o Melbourne City e o Western United que mesmo assim foi disputado como planejado.

Mark Rudan, treinador do Western United, disse depois da partida que em sua opinião o jogo deveria ter sido adiado por causa da fumaça.

“Alguns jogadores voltaram aos seus quartos com dificuldade para respirar”, disse Rudan ao jornal The Herald Sun, de Melbourne. “Mas é claro que existem regras e os médicos sabem o que é e o que não é seguro. As condições eram desafiadoras. Parabenizo os dois times."

O tênis pode se provar mais complicado. Uma partida de futebol de 90 minutos muitas vezes tem duração inferior à metade da duração de um jogo do Australian Open, particularmente do lado masculino, onde as partidas são melhores de cinco sets. Em 2012, a final masculina entre Djokovic e Rafael Nadal durou 5h53min.

“Nada esteve perto de adiar ou cancelar um torneio de Grand Slam, [até hoje] e por isso a decisão será difícil, obviamente”, disse Kudla. “Mas se a fumaça piorar, não consigo imaginar jogar uma partida de quatro ou cinco horas sem tossir como louco depois do jogo, e me sentir péssimo ao tentar me recuperar."

Enquanto tenistas e organizadores esperam para ver se a qualidade do ar na Austrália piorará ainda mais, esforços de assistência já foram iniciados pela comunidade do tênis. “A perda devastadora de pessoas, fauna, gado, casas, escolas e empresas vai exigir um esforço muito amplo para reerguer essas famílias e comunidades”, disse Tilley. “Nosso objetivo é que o tênis desempenhe um papel significativo e que possamos ajudar na recuperação."

Tradução de Paulo Migliacci

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.