Descrição de chapéu Tóquio 2020

Velejador brasileiro Jorge Zarif é flagrado em exame antidoping

Atleta disputou 2 últimas edições dos Jogos e era presença quase certa em Tóquio

São Paulo

O velejador brasileiro Jorge Zarif, 27, foi flagrado em um exame antidoping com a substância ​proibida tamoxifeno.

O teste foi realizado em um evento preparatório para a Olimpíada de Tóquio na raia de Enoshima, no Japão, onde será realizada a competição olímpica deste ano.

Zarif, que compete na classe Finn, é um dos principais nomes da vela brasileira atualmente e já foi campeão mundial, em 2013. Disputou duas edições dos Jogos Olímpicos, Londres-2012 e Rio de Janeiro-2016 (nesta ficou na quarta posição), e já estava com a vaga quase garantida para sua terceira participação.

Jorge Zarif treina para o Mundial da Dinamarca, em 2018, observado por Torben Grael e Robert Scheidt
Jorge Zarif treina para o Mundial da Dinamarca, em 2018, observado por Torben Grael e Robert Scheidt - Jesus Renedo - 2.ago.18/Sailing Energy/Divulgação

Por meio de um comunicado emitido por sua assessoria de imprensa, Zarif disse que se colocou em suspensão preventiva pela Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD). Ainda não há informações sobre seu julgamento.

Caso leve uma punição de seis meses, por exemplo, ele ainda poderá estar na próxima Olimpíada, com início marcado para 24 de julho.

"O atleta esclarece que em junho de 2019 se submeteu a um tratamento indicado por seu mastologista, contendo a substância tamoxifeno, para combater sintomas de ginecomastia [condição masculina de aumento exagerado das mamas] bilateral que lhe causavam dores e debilitavam seus movimentos", informou a nota.

De acordo com o documento, na época ele se preparava para campeonatos importantes, e o medicamento era a alternativa de tratamento para uma cirurgia que o afastaria das competições em torno de 45 dias.

O evento-teste no Japão foi realizado em agosto, um mês e meio após o término de seu tratamento.

Ainda segundo o comunicado, Jorge Zarif está de posse de todos os documentos e históricos médicos que comprovam o quadro de ginecomastia bilateral, incluindo fotos, exames e recomendações de cirurgia por mais de um profissional da área médica.

O tamoxifeno, proibido pelo Código Mundial Antidoping, é um modulador que bloqueia o estrogênio (hormônio sexual feminino) nas células mamárias e é comumente utilizado no tratamento do câncer de mama.

Desde julho de 2019, o esporte brasileiro sofre com uma sequência de casos de doping. Naquele mês foram divulgados os da tenista Beatriz Haddaddo nadador Gabriel Santos e de Maria Clara Lobo, integrante da seleção de nado artístico.

Bia Haddad está em suspensão provisória, assim como Lobo. Santos cumpre gancho de 12 meses.

Durante o Pan de Lima do ano passado, mais quatro brasileiros entraram na lista. A campeã olímpica de judô Rafaela Silva, o jogador de vôlei Rodriguinho, o ciclista Kacio Freitas e a lançadora de disco Andressa de Morais.

Medalhista de ouro nos Jogos do Rio, Rafaela Silva também se colocou em suspensão provisória enquanto aguarda julgamento.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.