Descrição de chapéu Copa Libertadores 2020

Conmebol investigará ato racista em jogo do Santos na Libertadores

Defensa y Justicia, rival do Santos no torneio, diz que ajudará na apuração

São Paulo

A Conmebol vai investigar um caso de racismo ocorrido durante a estreia do Santos na Copa Libertadores, na terça-feira (3), contra o Defensa y Justicia, na Argentina.

O time argentino tem até segunda-feira (9) para apresentar a sua defesa. A informação foi divulgada pelo site Globoesporte.com e confirmada pela Folha junto à entidade máxima do futebol sul-americano.

No decorrer da partida, um torcedor da equipe argentina dirigiu-se à torcida santista imitando um macaco. O próprio Defensa admitiu a infração e disse que vai contribuir para identificar e punir o torcedor.

Torcida do Santos na arquibancada do estádio Norberto Tomaghello, na Argentina, onde a equipe alvinegra encarou o Defensa y Justicia, pela Libertadores
Torcida do Santos na arquibancada do estádio Norberto Tomaghello, na Argentina, onde a equipe alvinegra encarou o Defensa y Justicia, pela Libertadores - Juan Mabromata - 3.mar.20/AFP

Em nota divulgada em seu Twitter, o clube argentino publicou, ainda, uma foto com torcedores do time confraternizando com santistas. "Assim como há os maus, também há bons exemplos, e estes valem ser destacados. A Copa Libertadores é mais que futebol", diz trecho do texto.

Mais cedo, o Santos também divulgou comunicado afirmando que entraria com uma representação na Conmebol diante do ocorrido. "Esperamos que identifiquem e afastem esse racista de seus jogos", diz time alvinegro. "O combate ao racismo é responsabilidade de todos os clubes do continente."

De acordo com o regulamento da Libertadores, o Defensa y Justicia pode ser multado em, pelo menos, US$ 15 mil (R$ 67,8 mil). A penalidade está descrita no artigo 17 do Código de Disciplina da entidade. 

 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.