Descrição de chapéu Tóquio 2020

Olimpíada na primavera pode ser antídoto contra calor de Tóquio

Antes de serem adiados para 2021, Jogos estavam marcados para o verão japonês

AFP

O adiamento da Olimpíada de Tóquio-2020 pode propiciar aos organizadores uma oportunidade providencial de resolver outro de seus problemas graves: o calor do verão.

A decisão histórica de adiar os Jogos por conta da pandemia do coronavírus deu a Tóquio uma gama de opções sobre a data em que eles serão realizados, definida por enquanto como “depois de 2020, mas no máximo até o verão [o terceiro trimestre, no hemisfério norte] de 2021”.

Isso deixa aberta a possibilidade de uma Olimpíada de primavera, o que removeria de imediato as preocupações sobre os problemas que o calor e umidade brutais do verão japonês podem causar aos atletas e espectadores.

​Yuriko Koike, a governadora de Tóquio, confirmou que o adiamento havia gerado essa possibilidade tentadora –e também permitiria que a capital japonesa recuperasse a maratona, que havia sido transferida à cidade de Sapporo, mais ao norte, para escapar do calor.

“Já que estamos nessa situação, uma das ideias é que [o Comitê Olímpico Internacional] transfira a data para um período menos quente”, ela disse. Koike adicionou posteriormente, com um sorriso, que acredita que Tóquio seja um bom lugar para realizar a maratona, se a temperatura for menos bruta.

Thomas Bach, o presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), de fato afirmou que as datas abertas para a realização do evento não se limitam aos meses de verão. "Todas as opções estão em debate, antes e incluindo o verão de 2021”, disse.

O mesmo pensamento claramente ocorreu a Yoshiro Mori, líder do comitê organizador dos Jogos de Tóquio, logo depois do adiamento.

“Estamos tentando montar um novo calendário para que os Jogos aconteçam até o verão. Podem acontecer antes... Como resultado, se fosse possível evitar a parte mais quente do verão, isso seria uma oportunidade afortunada”, ele disse, minutos depois do anúncio do adiamento.

Bach descreveu a tarefa sem precedentes de reorganizar o maior evento esportivo do planeta como “um imenso quebra-cabeças” e afirmou que qualquer data alterada criaria problemas.

Uma Olimpíada de primavera conflitaria com o final da temporada do futebol europeu, com os playoffs da NBA e o começo da temporada do beisebol profissional nos Estados Unidos, apontou Marcus Luer, presidente-executivo da Total Sports Asia, uma empresa de branding esportivo.

“Gosto da ideia em geral. Abril-maio é um período bonito no Japão e, desse ponto de vista, faz sentido”, ele disse à AFP. Mas, na sua visão, os conflitos de datas tornam a ideia “muito complicada”.

No entanto, qualquer alteração de data gera conflitos. Realizar a Olimpíada no verão exigiria que o atletismo e a natação mudassem a data de seus campeonatos mundiais.

Em termos de custo, os organizadores já reservaram grandes quantias para antídotos inovadores ao calor e umidade do verão, entre as quais uma pintura que absorve calor para as ruas da cidade.

Depois de admitir que o adiamento causaria gastos adicionais “maciços”, os Jogos de Tóquio-2020 certamente receberiam positivamente quaisquer economias, caso as medidas de combate ao calor se tornem desnecessárias.

Algumas federações acreditam que, tendo adiado os Jogos por motivos de saúde, os organizadores deveriam pensar duas vezes antes de colocar a saúde dos atletas e torcedores em risco ao expô-los ao calor do verão de Tóquio.

Ingmar de Vos, presidente da Federação Internacional de Esporte Equestre, instou o comitê organizador de Tóquio e o COI a “encontrar uma data em que haja menos calor e umidade”.

“Por que não pedir que o COI reconsidere e escolha datas que seriam melhores do ponto de vista do clima? Talvez essa seja uma oportunidade”, ele acrescentou.

Anéis olímpicos atrás de cerejeira no distrito de Odaiba, em Tóquio
Anéis olímpicos atrás de cerejeira no distrito de Odaiba, em Tóquio - Behrouz Mehri - 25.mar.20/AFP

Michael Wiederer, presidente da Associação Europeia de Handebol, disse, porém, que uma Olimpíada no meio da temporada afetaria “todas as competições dramaticamente” e poderia ter impacto negativo sobre o evento olímpico.

Ao que se sabe, o COI tomará sua decisão dentro de algumas semanas. John Coates, coordenador chefe do órgão, foi definido pelo jornal Yomiuri Shimbun como inclinado a realizar os Jogos no verão.

As Olimpíadas modernas tiveram uma boa variação de datas, e os organizadores poderiam apontar para precedentes históricos ao considerar datas na primavera.

Da última vez que a Olimpíada aconteceu em Tóquio, em 1964, os Jogos foram realizados em outubro. O mesmo mês viu na realização da Olimpíada seguinte, a da Cidade do México, em 1968.

As versões iniciais dos Jogos Olímpicos modernos foram realizadas na primavera –começando em abril ou maio em Atenas-1896, Paris-1900, Londres-1908 e Estocolmo-1912. A Olimpíada de St. Louis, em 1904, foi marcada para coincidir com uma exposição internacional e se estendeu de julho a novembro.

Tradução de Paulo Migliacci

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.