Federer propõe fusão entre ATP e WTA para comandar o tênis

Suíço defende juntar entidades responsáveis pelos circuitos masculino e feminino

São Paulo | AFP

O tenista suíço Roger Federer, 38, expressou nesta quarta-feira (22) o desejo, posteriormente apoiado por Rafael Nadal, 33, de ver a fusão entre a ATP e a WTA, que comandam respectivamente os circuitos profissionais masculino e feminino de tênis, após a pandemia do coronavírus.

"Eu estava pensando... Será que sou o único a pensar que já chegou o momento para que o tênis masculino e feminino se unam e se tornem um?", questionou o suíço em sua conta no Twitter.

"Estou totalmente de acordo que seria excelente sair desta crise mundial com a união do tênis masculino e do feminino em uma única entidade", apoiou Nadal, segundo colocado do ranking ATP.

Roger Federer durante entrevista em evento na África do Sul
Roger Federer durante entrevista em evento na África do Sul - Sumaya Hisham - 5.fev.20/Reuters

A romena Simona Halep, 28, atual número 2 do mundo no ranking WTA, também expressou apoio à ideia. "Você não é o único", escreveu no Twitter em resposta à mensagem de Federer. A americana Billie Jean King, 76, pioneira ao participar da criação da entidade do tênis feminino em 1973, endossou a ideia.

Houve também críticas, como do tenista australiano Nick Kyrgios, 24: "Alguém perguntou para a maioria da ATP o que eles acham sobre a fusão com a WTA e como isso seria bom para nós?", questionou.

Sete entidades regem atualmente as diferentes competições do tênis profissional: a ATP, a WTA, a ITF (federação internacional), assim como cada um dos torneios de Grand Slam (a federação australiana para o Australian Open, a federação francesa para Roland Garros, o All England Lawn Tennis and Croquet Clube para Wimbledon e a federação americana para o US Open).

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.