Fifa propõe cinco substituições para lidar com calendário apertado

Entidade sugere adotar medida com a intenção de não sobrecarregar os jogadores

Brian Homewood
Berna | Reuters

A Fifa propôs que os times de futebol possam fazer até cinco substituições por jogo, em vez das três usuais, como medida temporária para ajudar a lidar com o potencial congestionamento de datas após a pandemia do coronavírus.

O futebol está paralisado desde o meio de março e muitas ligas e federações ainda esperam completar a temporada, mas para fazê-lo teriam de amontoar rodadas em um período mais curto que o normal assim que os jogos forem retomados.

Fifa propõe até cinco substituições no retorno do futebol após a pandemia do coronavírus
Fifa propõe até cinco substituições no retorno do futebol após a pandemia do coronavírus - Phil Noble/Reuters

A proposta de mais substituições teria de ser aprovada pela organização que determina as regras no futebol, a Ifab (International Football Association Board), e a decisão final ficaria por conta dos organizadores das competições, disse a Fifa em um email enviado à Reuters.

"Uma preocupação sobre esse tema é que a frequência de jogos acima do normal pode aumentar o risco de lesões em razão de uma sobrecarga nos jogadores", afirmou a Fifa.

"Cada time teria então a possibilidade de utilizar até cinco substituições em uma partida, com a possibilidade de uma substituição adicional no tempo extra, quando necessário", explicou a entidade.

A Fifa ainda disse que as substituições teriam de ser feitas em um máximo de três blocos além do intervalo entre o primeiro e o segundo tempo.

A medida seria aplicada nesta temporada e na próxima, além das partidas internacionais até 31 de dezembro do ano que vem.

A Fifa afirmou que "o futebol só deveria retornar quando as autoridades de saúde e os governos disserem que é absolutamente seguro e que isso não irá atrapalhar os serviços de saúde que estão sendo entregues às populações".

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.