Na contramão do mundo, futebol volta ao Rio de Janeiro nesta quinta

Flamengo e Bangu jogam no Maracanã vazio, enquanto outros times ainda nem treinam

São Paulo

A volta do futebol no Rio de Janeiro, com o confronto entre Flamengo e Bangu às 21h desta quinta-feira (18), no Maracanã, vai na contramão do que foi feito, por exemplo, pelas principais ligas nacionais europeias.

Uma reunião na manhã desta quarta-feira (17) entre o prefeito Marcelo Crivella (Republicanos) e os clubes do estado definiu o retorno do estadual. O Vasco jogará no domingo (21).

O encontro decidiu, inclusive, os próximos compromissos de Fluminense e Botafogo, que são contrários à volta imediata do estadual e ainda nem voltaram a treinar. Ainda assim, suas partidas foram marcadas para segunda (22). O meia japonês Honda, do Botafogo, questionou a decisão no Twitter.

"Eu estou louco em querer saber a explicação lógica para reiniciar o campeonato?", escreveu o jogador, depois de postar os números de casos da Covid-19 no país.

No complexo esportivo do Maracanã funciona um hospital de campanha construído para o combate à Covid-19 com 400 leitos entre UTI e enfermaria.

"Os jogos estão autorizados e continuam autorizados. Tenho certeza que a população do Rio de Janeiro, como eu, aguarda os seus times entrarem em campo. É uma coisa que traz alento enorme para nossa alma", disse Crivella, que pediu à federação do Rio (Ferj) que não puna os clubes que não querem voltar em junho.

Maracanã voltará a ser palco de um jogo nesta quinta-feira (18), com Flamengo x Bangu
Maracanã voltará a ser palco de um jogo nesta quinta-feira (18), com Flamengo x Bangu - Ricardo Moraes - 14.mar.2020/Reuters

Na Alemanha, que ditou o modelo de retomada do futebol na Europa, a organização da Bundesliga anunciou em 23 de abril, cerca de um mês depois de um amplo confinamento em todo o país, um protocolo para a retomada das duas principais divisões.

O documento com 50 páginas estabeleceu todos os passos a serem seguidos pelos clubes, incluindo a testagem duas vezes por semana de jogadores e membros de comissões técnicas, em parceria com associações laboratoriais da Alemanha.

Na primeira bateria de exames, cujos resultados foram divulgados em 4 de maio, dez casos foram detectados em mais de 1.700 testes com os 36 clubes da primeira e da segunda divisões.

De acordo com Christian Seifert, CEO da Bundesliga, a organização da competição previu o uso de até 25 mil testes até o fim da temporada, menos de 0,4% do total produzido para todo o território nacional.

A volta da liga só foi aprovada pelo governo alemão em 6 de maio, após reunião da chanceler Angela Merkel com líderes das 16 regiões administrativas do país. Naquela altura, a Alemanha registrava 168.162 casos confirmados, com 7.275 mortes decorrentes da Covid-19 e uma curva de contágio da doença claramente em queda.

A Ferj divulgou uma nova versão do protocolo sanitário nesta quarta, véspera de Flamengo x Bangu. Os estádios terão cabine de desinfecção para jogadores e outros profissionais. As delegações poderão contar com no máximo 40 pessoas e todos terão a temperatura medida. Somente os atletas, em campo, poderão ficar sem máscara.

Na terça, o estado do Rio de Janeiro registrava um total de 83.343 casos confirmados, com 7.967 mortes e várias incertezas sobre o processo de flexibilização das medidas de distanciamento.

Entre as principais ligas europeias, a da Espanha, sexto país com mais óbitos no mundo, foi a segunda a anunciar a volta de sua disputa, que retornou na última quinta-feira (11) com o clássico entre Sevilla x Real Betis.

De 1º de abril, quando o país teve o pico de casos confirmados da doença (9.222), até a retomada do campeonato, foram 71 dias, ou seja, pouco mais de dois meses. No Rio de Janeiro, o recorde de casos da Covid-19 foi em 30 de maio, há pouco mais de duas semanas, com a confirmação de 4.467 novos contágios.

Na Inglaterra, terceiro país mais afetado pela Covid-19 somente atrás do Brasil e dos Estados Unidos, a Premier League retornou nesta quarta. Foram 78 dias desde o pico de casos, registrado em 12 de abril (8.719 novos contagiados), até a retomada da liga.

Nos dias 28 e 29 de maio, a liga inglesa realizou uma bateria de testes com 1.130 profissionais, incluindo atletas e funcionários dos clubes. Ninguém apresentou casos positivos para a Covid-19.

Entre 30 de abril e 3 de maio, o Flamengo realizou 293 testes no clube, incluindo jogadores, demais profissionais e familiares, que detectaram 38 pessoas infectadas pelas doença, entre elas três atletas (que não foram nomeados).

No dia 4 de maio, Jorge Luiz Domingos, 68, massagista do Flamengo por 40 anos, morreu devido a complicações causadas pelo coronavírus. No início de junho, o Vasco informou ter 16 jogadores com a Covid-19.

O Rio de Janeiro registrou o seu pico de mortes no último dia 3 de junho: 324. Nesta terça, o número foi de 239 óbitos, o pior índice em 12 dias, coincidindo com a abertura do comércio na capital do estado.

Além da questão de saúde pública, o aspecto esportivo também poderá ser prejudicado pelo retorno apressado do futebol no Rio.

No último dia 20 de maio, um helicóptero da TV Globo flagrou o elenco do Flamengo treinando no CT Ninho do Urubu. A própria prefeitura, na ocasião, afirmou que os treinos não estavam liberados e que só eram permitidas sessões de fisioterapia nos clubes profissionais.

A atividade com bola aconteceu no dia seguinte à visita do presidente flamenguista, Rodolfo Landim, ao presidente Jair Bolsonaro, em Brasília, onde discutiram a volta do futebol no país. O mandatário vascaíno Alexandre Campello também esteve presente.

O elenco rubro-negro, que trabalha há quase um mês, já realiza treinos coletivos há mais de dez dias, enquanto atletas de Botafogo e Fluminense ainda não foram a campo. O time alvinegro registrou nesta terça cinco casos confirmados de Covid-19 em seu elenco, todos assintomáticos.

Presidente do Fluminense, Mário Bittencourt defende que o clube tricolor só volte a atuar pelo estadual em julho, para que os atletas tenham um período mínimo de preparação. Diante da insistência da Ferj de já reiniciar o campeonato, Bittencourt admite a possibilidade de recorrer à Justiça.

Ainda na noite desta terça, o lateral direito Igor Julião, do time tricolor carioca, publicou no Twitter um manifesto de jogadores do clube contra o retorno do futebol no estado neste momento.​

Na Bundesliga, o campeão Bayern de Munique retomou os treinos, com distanciamento social entre os atletas, no dia 6 de abril e só fez sua reestreia na competição mais de um mês depois, em 17 de maio.

O Barcelona, líder do Espanhol, voltou às atividades em 8 de maio (também com restrições e distanciamento social) e entrou em campo pela primeira vez desde a paralisação no último sábado (13), contra o Mallorca.

Enquanto na Inglaterra a volta dos campeonatos foi transmitida pela emissora pública BBC, algo raro no país, Flamengo x Bangu será visto por um número bem limitado de pessoas, já que não contará com exibição de nenhum canal.

Isso porque o clube rubro-negro e a Globo ainda não chegaram a um acordo para a venda dos direitos televisivos, seja para TV aberta, fechada ou pay-per-view. A emissora detém os direitos de transmissão dos outros 11 times que disputam o campeonato.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.