Descrição de chapéu
São Paulo

Réplica: Não há erro em dizer que São Paulo foi rebaixado em 1990

Repórter da Folha naquele ano, Fernando Santos escreve em resposta à coluna de PVC

São Paulo

O jornalista Paulo Vinicius Coelho publicou em sua coluna na Folha nesta sexta-feira (19) texto que aborda uma antiga polêmica do futebol paulista, sobre o São Paulo ter ou não sido rebaixado no campeonato estadual de 1990.

Para PVC, o regulamento daquele campeonato prova que não. Por isso, ele escreveu que o jornal errou ao publicar, no dia 21 de junho daquele ano, o seguinte enunciado: “São Paulo vai disputar a Segunda Divisão em 1991”.

Fernando Santos, que foi repórter da Folha de 1987 a 1992, possui visão diferente, publicada abaixo como réplica à coluna de PVC.

Raí (de branco), do São Paulo, em jogo contra o Corinthians durante clássico válido pelo Campeonato Paulista de 1990, no Morumbi
Raí (de branco), do São Paulo, em jogo contra o Corinthians durante clássico válido pelo Campeonato Paulista de 1990, no Morumbi - Homero Sergio - 8.abr.90/Folhapress

O amigo e colega Paulo Vinicius Coelho diz em sua coluna na Folha de S.Paulo que eu errei ao escrever, em 1990, que o São Paulo foi rebaixado no Campeonato Paulista.

Ele usa como argumento o fato, real, de o regulamento não prever rebaixamento naquele ano.

Regulamento que previa, sim, a divisão dos clubes no ano seguinte em duas séries. Porém, apesar de não estar escrito, apenas os times da série principal disputariam o título, como era de entendimento de todos os clubes e da própria Federação Paulista.

Inclusive, basta ler a minha reportagem da época em que os próprios dirigentes do São Paulo reconheciam o rebaixamento, mesmo que disfarçado.

Pode-se dizer que não está claramente escrito que haveria uma segunda divisão, mas na prática era isso mesmo.

Quando o São Paulo vexatoriamente ficou de fora do grupo principal do Campeonato Paulista de 1991(claramente uma Primeira Divisão), então deu-se a popular virada de mesa: a FPF criou um mecanismo para dar chance aos times da não-declarada segunda divisão de disputar o título com aqueles da não-declarada primeira divisão.

O absurdo foi ainda maior em 1991: o São Paulo atropelou os pequenos na não-declarada segunda divisão e chegou à fase final com vantagem sobre todos os times da não-declarada primeira divisão. Inclusive, eliminou o Palmeiras no critério de desempate para ir à final. Quem, em sã consciência, faria um regulamento para favorecer os times da chamada "divisão inferior"?.

Não há erro na manchete daquela Folha de S.Paulo de 20 de junho de 1990. Se outros jornais, como o Estadão e a revista Placar, tiveram outra interpretação, nada posso fazer. Há ainda o agravante de que tudo aconteceu em meio à Copa do Mundo da Itália. Ninguém ligava para o Paulistinha, que mantinha a tradição de um campeonato desorganizado e de uma tabela que se mantinha mesmo diante do Mundial.

Mas eu estava lá, naquela tarde ensolarada de uma quarta-feira num Morumbi vazio, e fiz meu papel como jornalista. Entre relatar a verdade dos fatos e aceitar simplesmente um regulamento desonesto e traiçoeiro, fiquei com a verdade.

E como disse Telê Santana, contratado logo em seguida ao rebaixamento e idolatrado eternamente pelos próprios são-paulinos, "peguei o time na segunda divisão".

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.