Bolsonaro recebe Marcelinho Carioca e veste camisa do Corinthians

Ex-jogador aproveitou para defender MP que dá aos mandantes direitos de transmissão

Brasília

O presidente –e palmeirense– Jair Bolsonaro (sem partido) apareceu em vídeo divulgado nesta quarta-feira (29) vestido com uma camisa do Corinthians ao lado do ex-jogador Marcelinho Carioca.

Na publicação, os dois aparecem no Palácio do Planalto e jogam bola. Eles defenderam a Medida Provisória 984, que determina que o time de futebol mandante do jogo possui o direito de transmiti-lo ou negociar a sua transmissão. Até então, a Lei Pelé exigia a anuência das duas partes envolvidas.

Jair Bolsonaro e Marcelinho Carioca vestem a camisa do Corinthians em vídeo
Jair Bolsonaro e Marcelinho Carioca vestem a camisa do Corinthians em vídeo - Reprodução

"A Constituição de 1988 diz 'liberdade de expressão e manifestação de pensamento'. É a liberdade do nosso futebol. E viva o nosso presidente porque teve coragem de poder fazer isso. E aí, galera, segura os craques aqui", disse Marcelinho em vídeo divulgado por Bolsonaro.

A visita do ex-atleta não aparece na agenda oficial do presidente nesta quarta. Bolsonaro agradeceu a presença do ex-jogador, a quem chamou de "craque do passado recente".

"Parabéns a você que está apoiando, junto com a sua turma do Corinthians, esta medida provisória que será muito boa para o Brasil. E os times vão deixar de ficar aí subordinados ao monopólio, refém do monopólio", disse o presidente.

Na tarde desta quarta, após o registro do encontro nas redes sociais de Bolsonaro, o Corinthians publicou uma nota em seu site oficial, na qual atribuiu exclusivamente a Marcelinho a iniciativa da entrega da camisa.

"O Sport Club Corinthians Paulista torna público que não teve qualquer participação na iniciativa do ex-jogador Marcelinho Carioca, em Brasília. A entrega da camiseta nesta quarta, na Presidência da República, foi uma ação única e exclusiva do ex-atleta", disse o clube.

Em sua live de 2 de julho, quando celebrou o primeiro jogo do Flamengo transmitido pelo próprio clube, Bolsonaro disse que só vestiria a camisa do Corinthians quando o time declarasse apoio à MP.

"O pessoal diz que eu tenho que usar um dia a camisa do Corinthians, mas o Corinthians tem que entrar neste time aí, pô. O Corinthians é uma das maiores torcidas do Brasil, tem que entrar nessa do livre direito de negociar imagem", disse à época.

Em 16 de julho, Bolsonaro mostrou a apoiadores sua coleção de camisas de futebol.

A cada pedido que recebia, mudava a vestimenta, tirava foto e publicava na internet. O presidente vestiu as camisas de Santos, Palmeiras, Fortaleza, Athletico, Atlético-MG, Goiás, Internacional, Sport e Cascavel.

Cobrado por torcedores do Corinthians, ele respondeu apenas "??????" e "Corinthians está dentro", mas não postou foto com a camisa da equipe.

Com o aval de 16 clubes da Série A do Campeonato Brasileiro, um manifesto em apoio à medida provisória 984 deverá ser usado como instrumento de pressão para que o Congresso vote e aprove o texto, editado por Bolsonaro no dia 18 de junho.

Assinaram o documento: Athletico, Atlético-MG, Atlético-GO, Bahia, Ceará, Corinthians, Coritiba, Flamengo, Fortaleza, Goiás, Inter, Palmeiras, Bragantino, Santos, Sport e Vasco.

A carta defende, em quatro tópicos, que a MP irá estimular a união entre os clubes, aumentar a concorrência e ampliar as opções de transmissão para o torcedor.

O primeiro item aponta para o fim dos "apagões", os jogos sem nenhuma exibição que geralmente ocorrem quando uma emissora tem os direitos de um time e outro canal os de seu adversário.

O Campeonato Brasileiro, por exemplo, é dividido entre os times que cederam o direito de televisionamento em TV fechada para a Globo (SporTV) e os que negociaram com a Turner (Palmeiras, Santos, Fortaleza, Ceará, Athletico, Bahia, Coritiba e Internacional).

A maioria dos contratos com Globo e Turner vai até 2024.

Confira a íntegra da nota do Corinthians sobre o encontro

"O Sport Club Corinthians Paulista torna público que não teve qualquer participação na iniciativa do ex-jogador Marcelinho Carioca, em Brasília. A entrega da camiseta nesta quarta, na Presidência da República, foi uma ação única e exclusiva do ex-atleta.

Cabe ressaltar que a nova camisa do clube, com o logotipo do patrocinador BMG em preto e branco, já havia sido amplamente divulgada em evento na Arena Corinthians em 11/7.

Por fim, o Corinthians se mantém fiel às suas tradições, respeitando todas as correntes políticas e coerente com suas origens de clube de todos os brasileiros."

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.