Chefe da Secom celebra venda de patrocínios do SBT para Fla-Flu

Fabio Wajngarten é subordinado do ministro Fábio Faria, genro de Silvio Santos

São Paulo

O chefe da Secom (Secretaria de Comunicação) do governo de Jair Bolsonaro (sem partido), Fabio Wajngarten, comemorou no Twitter a venda de cotas de patrocínio por parte do SBT para a transmissão da final do Estadual do Rio, nesta quarta-feira (15), entre Flamengo e Fluminense.

A secretaria de Wajngarten foi incorporada em junho ao novo Ministério das Comunicações, depois que Bolsonaro recriou a pasta para a nomeação de Fábio Faria como ministro. Faria, hoje chefe de Wajgarten, é genro de Silvio Santos, o dono do SBT.

"O sucesso comercial do SBT com seis cotas para o patrocínio do jogo de hoje é a comprovação de que a MP 984/20, criada pelo Presidente @JairBolsonaro, veio para mudar a realidade do futebol brasileiro. Parabéns ao SBT e aos anunciantes!", publicou o responsável pela Secom em seu Twitter.

De acordo com o jornalista Mauricio Stycer, em sua coluna do UOL, o SBT vendeu pelo menos seis cotas de patrocínio para o jogo desta quarta: Havan, PicPay, Hypera Pharma (Miorrelax), Ambev (cerveja Brahma Duplo Malte), Unilever (shampoo Clear) e Estácio.

O faturamento do SBT com o jogo será de aproximadamente R$ 4 milhões, segundo reportagem da Máquina do Esporte. Esse valor será dividido com o Flamengo. É esperado que o clube fique com cerca de R$ 1,5 milhão, descontados os custos de operação.

A emissora de Silvio Santos anunciou no último sábado (11) a aquisição dos direitos de transmissão do jogo de volta da final do Estadual do Rio de Janeiro, que terá mando do Flamengo (a FlaTV também transmite).

Na partida de ida, com mando do Fluminense, o duelo foi exibida pela FluTV, a TV oficial do clube das Laranjeiras.

De acordo com a Medida Provisória 984, assinada pelo presidente Jair Bolsonaro e celebrada por Fabio Wajngarten, os clubes mandantes ganharam o direito de negociar com quem quisessem a transmissão de suas partidas. Isso abriu um conflito entre o Flamengo e a Globo. O time rubro-negro era o único que não tinha contrato com a emissora carioca para o torneio.

Após a publicação da MP, no dia 18 de junho, o Flamengo passou a transmitir seus jogos como mandante na TV oficial do clube.

A Globo, que tinha contrato com os outros 11 participantes do estadual e com a própria Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj), tentou impedir a primeira transmissão, inclusive na Justiça, mas sem sucesso.

A emissora, então, rescindiu seu contrato com a Ferj e abriu mão dos jogos restantes da competição.

No mês passado, Fabio Wajngarten participou de uma festa promovida por Felipe Melo, jogador do Palmeiras e apoiador do presidente Bolsonaro, na qual não foram respeitadas as medidas de segurança com relação à pandemia do novo coronavírus. Os convidados estavam todos sem máscara, entre eles o chefe da Secom.

Erramos: o texto foi alterado

Diferentemente do publicado, o SBT não adquiriu, e sim vendeu pelo menos seis cotas de patrocínio para a final do Estadual do Rio desta quarta (15). O texto foi corrigido.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.