Corinthians e Palmeiras fazem dérbi atípico e decisivo na pandemia

Com time alvinegro ameaçado, rivais duelam sem público na volta do Paulista

São Paulo

Recomeça, nesta quarta-feira (22), o Campeonato Paulista. Já com um clássico entre Corinthians e Palmeiras, a disputa pelo título estadual de futebol terá reinício na semana em que o Brasil atingiu a marca de 80 mil mortos pelo novo coronavírus.

Só no estado de São Paulo, haviam sido contabilizados até a última segunda (20) 416.434 casos de infecção pelo Sars-CoV-2, com 19.788 mortes. A semana passada teve uma alta nos registros após três semanas de queda, o que não alterou os planos de retomada do futebol.

Sem público nas arquibancadas, quatro partidas marcam o recomeço da disputa, interrompida em março por causa da pandemia. O grande jogo da rodada é o dérbi, marcado para as 21h30 (de Brasília), no estádio de Itaquera, com transmissão da TV Globo.

Com o placar histórico do clássico empatado, 127 vitórias para cada lado, o Corinthians precisa passar à frente para manter alguma chance de classificação às quartas de final. E, mesmo assim, a situação continuará bem complicada.

Neste momento, a dois compromissos do término da primeira fase, o time do Parque São Jorge tem 11 pontos e está na terceira colocação do Grupo D. O Red Bull Bragantino, com 17 e três vitórias a mais, já está fora do alcance. A chance alvinegra é alcançar o Guarani, que soma 16 pontos.

Na briga pela segunda vaga da chave nos mata-matas, o Corinthians, atual tricampeão, tem de derrotar Palmeiras e Oeste. Mesmo assim, só avançará caso o Guarani perca seus dois jogos, contra Botafogo e São Paulo, ou some apenas um ponto e seja superado no saldo de gols.

O goleiro Cássio durante treino do Corinthians
O goleiro Cássio durante treino do Corinthians - Rodrigo Coca - 20.jul.20/Agência Corinthians

O problema é que vencer tem sido coisa rara para a equipe de Tiago Nunes, que levou a melhor apenas duas vezes em dez partidas disputadas no Paulista.

A expectativa do treinador é que a paralisação de mais de quatro meses da competição tenha mudado o cenário. Será um dérbi atípico, o primeiro da história sem torcedores no campo, após uma longa interrupção.

O projeto "O Timão é a Sua Casa" levará à arena fotos personalizadas de torcedores que ficarão em exposição num bandeirão ou em totens personalizados distribuídos nas cadeiras do estádio. O goleiro Cássio, por exemplo, comprou totens que destinou para os seus dois filhos: Felipe, 5, e Maria Luiza, 2.

“Não vamos voltar 100% no primeiro jogo, mas o Palmeiras também não vai estar no seu melhor. Então, não tem muleta. Os dois times tiveram um tempo parecido, e nós precisamos muito da vitória”, afirmou o meio-campista Ramiro.

Na volta, Tiago Nunes não poderá contar com o zagueiro Pedro Henrique e com o atacante Yony González, que estavam nos planos para a equipe titular e deixaram o clube. Também não terá o reforço do centroavante Jô, que não teve sua situação regularizada.

Há ainda problemas com aqueles que estarão no gramado de Itaquera. A pandemia agravou a crise financeira do Corinthians, que chegou a atrasar três meses de salário. Um desses meses foi pago nesta semana, com redução de 25%, e a diretoria tenta contornar a insatisfação dos atletas.

Já o Palmeiras chega ao duelo em uma situação mais tranquila do que a do arquirrival, brigando com o Santo André pela liderança do Grupo B e da classificação geral da competição —ambos têm 19 pontos, mas o time do ABC contabiliza uma vitória a mais (6 contra 5).

Apesar disso, nas últimas semanas a equipe sofreu uma série de baixas que podem atrapalhar seu desempenho na retomada do futebol. A principal delas é a saída de Dudu. O atacante, considerado o principal jogador do time desde o ano de sua chegada, em 2015, foi negociado com o Al-Duhail, do Qatar.

Além da perda de seu maior ídolo recente, o Palmeiras foi surpreendido com a suspensão de quatro meses de Rony, imposta pela Fifa. O também atacante foi punido em razão de sua saída do Albirex Niigata, do Japão, para o Athletico-PR.

O clube alviverde, porém, conseguiu nesta quarta-feira (22) o efeito suspensivo do atleta e poderá escalá-lo no clássico.

Outra opção para o setor seria Gabriel Veron, de 17 anos, mas o jovem sofreu uma lesão no último treino, na terça-feira (21). Gustavo Scarpa também surge como alternativa para Vanderlei Luxemburgo.

Em entrevista coletiva na sexta (17), Luxemburgo, recuperado após contrair Covid-19, pediu calma com Veron. "Potencial fantástico e veloz. Estamos ensinando a ganhar espaço. É um jogador que tem potencial altíssimo para evoluir. Tem de ter cuidado para lançar o jogador. Da mesma maneira que vocês [imprensa] cobram, vocês falam que não passou de promessa."

Outro desfalque importante está na zaga. O zagueiro paraguaio Gustavo Gómez ainda não assinou seu novo vínculo com o Palmeiras por uma divergência de valores em seus vencimentos. Com isso, sua inscrição no Paulista perdeu a validade e só poderá ser retomada quando um novo acordo for firmado.

O sistema defensivo também não terá o lateral direito Marcos Rocha, expulso contra a Inter de Limeira na última partida antes da paralisação da competição.

Outros três jogos serão realizados nesta quarta. Ituano e Ferroviária entrarão em campo primeiro, no Canindé às 16h30.

Às 19h15, o Santos tentará confirmar sua classificação contra o Santo André, na Vila Belmiro. No mesmo horário, Ponte Preta e Novorizontino jogarão na Arena Barueri.

Na quinta, mais quatro jogos completarão a penúltima rodada da fase de grupos. Até agora, só estão liberadas pelo governo estadual partidas na Grande São Paulo e em Santos.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.