Rony, atacante do Palmeiras, é suspenso por quatro meses pela Fifa

Athletico também foi punido e não poderá registrar atletas nas próximas duas janelas

Diego Salgado
São Paulo | UOL

A Câmara de Resoluções de Litígio da Fifa decidiu nesta segunda-feira (13) punir o atacante Rony, do Palmeiras, em meio a uma ação judicial do Albirex Niigata, do Japão.

O jogador foi suspenso por quatro meses, enquanto o Athletico não poderá registrar jogadores nas próximas duas janelas de transferências. Cabe recurso nas duas situações.

Rony em ação pelo Palmeiras contra o Santos, no Pacaembu, pelo Campeonato Paulista
Rony em ação pelo Palmeiras contra o Santos, no Pacaembu, pelo Campeonato Paulista - Cesar Greco/Palmeiras

As informações foram divulgadas inicialmente pelo Globoesporte.com e confirmada pela reportagem do UOL Esporte. O jogador ainda terá de ressarcir o clube japonês. O Palmeiras, por sua vez, não será punido financeiramente.

Contratado pelo Palmeiras no começo de 2020, Rony voltou ao Brasil em 2018 para atuar pelo Athletico depois de obter uma liminar na Fifa, fruto de disputa jurídica com o Albirex Niigata, do Japão. O clube japonês entende que teria direito a receber uma multa de cerca de 10 milhões de dólares (R$ 53,4 milhões na cotação atual) pela saída do jogador.

Quando Rony acertou com o Athletico, a entidade máxima do futebol atendeu ao pedido do atacante sobre o contrato com os japoneses ser inconsistente.

Obrigado a liberar o atacante para o futebol brasileiro, o Albirex Niigata entrou com uma ação na Fifa cobrando a multa dos paranaenses e do próprio atleta pela quebra de contrato.

Os japoneses alegam que estabeleceram contrato até 2019 e que a cláusula para encerrar o compromisso era justamente o pagamento da multa. Athletico e Rony, por outro lado, não reconheceram esse contrato e se sustentam com a liberação da Fifa ocorrida em 2018.

Para contratar Rony, destaque do time rubro-negro na temporada passada, o Palmeiras pagou 6 milhões de euros (R$ 36,5 milhões na cotação de hoje), divididos em quatro parcelas anuais de 1,5 milhão de euros (R$ 9,1 milhões). O contrato do atacante tem duração até dezembro de 2024.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.