Descrição de chapéu Campeonato Brasileiro 2020

CBF passa a exigir testes de Covid-19 de todos os jogadores

Entidade tira exclusividade do Albert Einstein para exames e estabelece novos prazos

São Paulo

A CBF anunciou nesta segunda-feira (10) que todos os jogadores inscritos em competições organizadas pela entidade, mesmo os não relacionados para uma partida, deverão fazer testes para detectar o novo coronavírus 72 horas antes de cada duelo.

Os resultados dos testes deverão ser enviados para a confederação até 24 horas do início dos jogos pelo time mandante e até 12 horas antes da viagem pelo clube visitante. A regra valerá a partir de sexta-feira (14).

A mudança no protocolo de prevenção à Covid-19 estabelecido pela CBF antes do início do Campeonato Brasileiro ocorre um dia após a partida entre Goiás e São Paulo, pela primeira rodada do Nacional, ter sido adiada minutos antes de a bola rolar devido a surto de coronavírus no elenco do time goiano.

Pressionada pelas falhas ocorridas no fim de semana nas Séries A, B e C da competição, a entidade máxima do futebol brasileiro informou que resolveu alterar as diretrizes para oferecer mais segurança a clubes e jogadores.

A CBF também abriu mão de exigir que todos os testes sejam operados pelo Hospital Albert Einstein. A instituição foi contratada pela confederação para monitorar com exclusividade o processo, mas admitiu falhas de um laboratório parceiro na testagem do elenco do Goiás, o que retardou os resultados do elenco no fim de semana e provocou o adiamento do jogo após a identificação tardia do surto.

Os clubes poderão optar por seguir utilizando os serviços do Einstein ou contratar laboratórios locais, desde que eles sigam os padrões estabelecidos no protocolo da CBF. A entidade se compromete a reembolsar o valor dos testes aos clubes que optarem por outro laboratório.

A Folha entrou em contato com representantes dos 20 clubes da elite. Corinthians, Goiás, Atlético-MG, Atlético-GO, Ceará e Vasco já descartaram seguir trabalhando com o hospital paulistano.

Jogadores do São Paulo no gramado do estádio da Serrinha, em Goiânia, esperando pelos atletas do Goiás
Jogadores do São Paulo no gramado do estádio da Serrinha, em Goiânia, esperando pelos atletas do Goiás - Heber Gomes/AGIF

O Einstein declarou, em nota que "identificou uma falha técnica na coleta das amostras, feita em um laboratório parceiro em Goiás". Por isso, solicitou novas amostras, que só ficaram prontas no domingo —contrariando assim o prazo de 24 horas prévias exigido pela CBF.

A partida entre Goiás e São Paulo só foi suspensa após decisão do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) proferida dez minutos antes de a bola rolar. O fato surpreendeu o São Paulo, que já estava em campo, e a própria TV Globo, que transmitiria o jogo ao vivo.

Foi a segunda vez que o Einstein admitiu problemas com a testagem de atletas. No começo deste mês, o hospital também reconheceu erro no diagnóstico positivo de 26 jogadores do Red Bull Bragantino antes de enfrentar o Corinthians, pelas quartas de final do Campeonato Paulista.

O elenco do Bragantino precisou refazer os exames (quando todos deram negativo) a sete horas da partida no Morumbi. Por conta disso, o hospital foi notificado pelo Procon na última terça-feira (4).

Procurado pela Folha nesta segunda, o Einstein não respondeu aos questionamentos até a publicação deste texto.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.