Descrição de chapéu Campeonato Paulista 2020

Finalistas do Paulista, Corinthians busca tetra, e Palmeiras, fim de jejum

Rivais vencem zebras nas semifinais e, pela 7ª vez na história, decidem Estadual

São Paulo

O Corinthians em busca de um inédito tetracampeonato. O Palmeiras pressionado a dar fim a um jejum de 12 anos sem títulos estaduais. Assim será a decisão do Campeonato Paulista 2020, que teve os seus finalistas definidos neste domingo (2).

As duas partidas que vão consagrar o campeão estadual serão disputadas na quarta-feira (5) e no sábado (8), com o segundo jogo marcado para o estádio Allianz Parque, casa do time alviverde, que terá a vantagem por ter tido melhor campanha ao longo da competição.

Nas semifinais, o time alvinegro passou pelo Mirassol, com vitória por 1 a 0, em Itaquera. A equipe alviverde bateu a Ponte Preta, também por 1 a 0 , e também em sua casa.

Será a sétima vez que os times disputam a final do Estadual e, por enquanto, há equilíbrio, com três títulos para cada lado.

A última vez em que o clássico ocorreu na decisão foi em 2018, ano em que o time alvinegro conquistou o segundo dos três títulos consecutivos que ganhou a partir de 2017.

Caso fature a taça deste ano, o tetracampeonato será um feito inédito para o Corinthians e que não acontece no torneio estadual desde 1919, quando o futebol ainda era amador.

O Palmeiras, aliás, encerrou a sequência vitoriosa do Paulistano ao conquistar seu primeiro título estadual, em 1920, ainda como Palestra Itália. Depois, foi um dos principais responsáveis por essa marca nunca ter sido alcançada novamente.

Campeão em 1940, encerrou a sequência de conquistas do Corinthians, que havia levantado a taça em 1937, 1938 e 1939. Já como Palmeiras, impediu o tetra do Santos ao ser campeão em 1963 e, entre 1964 e 1969, quando o Santos de Pelé dominava os campos de São Paulo, foi campeão em 1966, também impedindo uma sequência maior de títulos do clube alvinegro.

Além de impedir outra vez que um time seja tetra, o Palmeiras —que já podia ter eliminado o time alvinegro do torneio com um empate no confronto do último dia 22, ainda pela primeira fase, na retomada do Estadual— tenta repetir o desempenho que obteve em 2008, ano em que ficou com o troféu estadual pela última vez, ao vencer a Ponte Preta na decisão.

Curiosamente, o técnico do time palmeirense naquela ocasião era Vanderlei Luxemburgo, treinador que está em sua quinta passagem pelo clube.

A seca atual do Palmeiras no Paulista é a segunda maior da sua história. A mais longa se deu no período entre 1976 e 1993 e também foi encerrada por Luxemburgo. O último técnico antes do carioca a ganhar o torneio foi Olegário Tolói de Oliveira, o Dudu, em 1976.

Patrick de Paula é abraço pelos companheiros de time ao comemorar gol do Palmeiras contra a Ponte Preta
Patrick de Paula é abraço pelos companheiros de time ao comemorar gol do Palmeiras contra a Ponte Preta - Rubens Cavallari/Folhapress

Se o histórico recente é mais favorável aos corintianos, o desempenho apresentado pelas duas equipes neste ano coloca os palmeirense com certo grau de favoritismo.

Até a retomada do Campeonato Paulista, paralisado devido à pandemia do novo coronavírus, parecia improvável o Corinthians chegar ao mata-mata. Para isso, precisou ganhar as duas rodadas finais da fase de grupos, incluindo o dérbi, além de contar com dois tropeços do Guarani.

Sem precisar contar com a sorte, o Palmeiras avançou como primeiro de sua chave e passou pelo Santo André nas quartas antes de derrotar a Ponte Preta.

Foi no mata-mata, contudo, que o time de Tiago Nunes começou a mostrar força. Primeiro, eliminou o Red Bull Bragantino, então dono da melhor campanha do torneio, e depois superou o Mirassol, que havia surpreendido o São Paulo, no Morumbi.

Éderson comemora com outros jogadores o gol do Corinthians contra o Mirassol
Éderson comemora com outros jogadores o gol do Corinthians contra o Mirassol - Adriano Vizoni/Folhapress

Em campo, é possível notar evolução no futebol apresentado pelos corintianos, embora sem muito brilho. Na vitória sobre o Mirassol, por exemplo, o time teve o domínio da partida, controlando a bola, mas criou poucas chances claras.

O gol da vitória só saiu na etapa final, quando o time já jogava com um a mais, após a expulsão de Juninho, aos 15 minutos. Aos 26, Éderson fez o único gol do jogo, o terceiro que ele marcou nos últimos três duelos da equipe.

O Palmeiras, por sua vez, ainda não joga o futebol que é esperado por seus torcedores, mas também não corre riscos. Diante da Ponte Preta, fez sua melhor exibição desde a volta do Estadual, com bom volume ofensivo e chances de balançar as redes. O gol da vitória alviverde foi marcado pelo volante Patrick de Paula, aos 45 minutos do primeiro tempo.

Na decisão, o Corinthians vai buscar o seu 31º caneco, enquanto o time alviverde luta por seu 23º troféu.

Por estarem na final estadual, os rivais terão seus jogos de primeira rodada do Campeonato Brasileiro, marcados inicialmente para domingo (9), adiados pela CBF.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.