Djokovic vence algoz de Nadal e conquista 2º título após retorno do tênis

Sérvio é campeão do Masters 1.000 de Roma pela quinta vez na sua carreira

São Paulo

Novak Djokovic conquistou nesta segunda-feira (21) o seu quinto título do Masters 1.000 de Roma, ao vencer o argentino Diego Schwartzman (algoz de Rafael Nadal) na final por 2 sets a 0, com parciais de 7/5 e 6/3.

Foi o segundo troféu do sérvio de 33 anos, número um do mundo, desde o retorno do tênis após a paralisação em razão da pandemia do coronavírus. Antes, venceu o Masters de Cincinnati, nos EUA. Ele já soma 36 títulos desses torneios na carreira.

Os dois últimos dias de Roma marcaram um dos primeiros torneios do esporte com presença de público —a Itália passou a permitir até 1.000 pessoas em eventos esportivos. Mas não foi a primeira vez que Djokovic atuou com fãs nas arquibancadas desde o início da pandemia.

Antes, ele organizou um campeonato amistoso com público na Sérvia (ainda quando o circuito profissional do tênis estava paralisado) que ignorou recomendações sanitárias da Organização Mundial da Saúde, causou aglomerações e levou a um surto da Covid-19 inclusive entre atletas.

O próprio Djokovic acabou contaminado, assim como sua esposa. Depois, durante a preparação para o US Open, ele se desculpou publicamente e pediu que o erro não gerasse uma caça às bruxas.

O sérvio tem apenas uma derrota nesta temporada até o momento, justamente no US Open, quando foi desclassificado após acertar uma juíza de linha com uma bolada, ainda nas oitavas de final, em jogo contra o espanhol Pablo Carreño Busta.

Na partida desta segunda, Djokovic venceu o argentino, que havia eliminado Rafael Nadal nas quartas, para ser campeão.

Schwartzman, 28, 15º do ranking, deu um pouco de trabalho ao sérvio. Chegou a abrir 3 a 0 no primeiro set, com duas quebras de serviço, aproveitando um início de jogo em que o rival estava irritado, sobretudo com a chuva fraca e as condições da quadra (a organização do torneio não suspendeu a partida, mesmo com condições climáticas não ideais).

Também largou o segundo set com uma quebra de vantagem, mas nem sequer chegou a confirmá-la.

Após bater Nadal nas quartas de final em Roma, o argentino ainda venceu o canadense Denis Shapovalov na semifinal, em uma batalha de mais de três horas de duração.

Djokovic vibra após fechar o primeiro set contra Schwartzman
Djokovic vibra após fechar o primeiro set contra Schwartzman - Clive Brunskill/AFP

O próximo grande torneio da temporada será Roland Garros, que começa no próximo dia 27 e também espera receber público, estimando ter condições para alocar até 5.000 pessoas por dia em suas instalações. A organização tinha a intenção de receber até 11,5 mil espectadores, mas mudou de ideia na semana passada.

De acordo com o jornal francês L'Equipe, apenas a quadra Philippe Chatrier estará autorizada a receber torcedores.

Terceiro da história em número de Grand Slams, Djokovic buscará seu 18º título desse cacife na França, que também receberá Nadal, o maior vencedor da história do torneio, com 12 troféus —no geral, tem 19 Slams, um a menos que Roger Federer, que não jogará mais nesta temporada em razão de cirurgias.

Tradicionalmente, Roland Garros é o segundo Grand Slam do ano e acontece no primeiro semestre, mas foi remarcado após a paralisação do tênis pela pandemia. Já Wimbledon foi cancelado pela primeira vez desde a Segunda Guerra Mundial.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.