Tenista Bruno Soares é bicampeão do torneio de duplas do US Open

Ao lado do croata Pavic, brasileiro chega ao seu 6º troféu de Slam na carreira

São Paulo

O tenista brasileiro Bruno Soares conquistou nesta quinta-feira (10), ao lado do croata Mate Pavic, o título de duplas do US Open. Eles derrotaram a parceria formada pelo também croata Nikola Mektic e o holandês Wesley Koolhof, por 2 sets a 0 (7/5 e 6/3).

Esse é o terceiro título de Grand Slam de Soares nas duplas masculinas, o segundo no torneio de Nova York —que neste ano está sendo disputado sem público por causa da pandemia de Covid-19.

Em 2016, o mineiro teve o melhor ano de sua carreira, conquistando o US Open e o Australian Open, ao lado do britânico Jamie Murray. Foi quando atingiu a vice-liderança do ranking mundial, sua melhor posição.

Em duplas mistas, ele também já ergueu três troféus de Slam, dois nos EUA (2012 e 2014) e um na Austrália (2016).

Aos 38, Soares não vivia seu melhor momento nos últimos anos (ocupa a 27ª posição do ranking), mas surpresas são comuns na modalidade de duplas, e ele aproveitou o primeiro Grand Slam disputado após uma paralisação do circuito por cinco meses para protagonizar uma delas ao lado de Pavic, 27, que já ocupou o posto de número 1.

O brasileiro e o croata estão juntos desde junho de 2019, após o mineiro encerrar uma parceria de três anos e meio com Murray, irmão do ex-número 1 do mundo de simples Andy.

Até então, o único título de Soares e Pavic havia sido conquistado no Masters 1.000 de Xangai, em outubro do ano passado.

Bruno Soares (à dir.) e Mate Pavic em ação na final de duplas do US Open
Bruno Soares (à dir.) e Mate Pavic em ação na final de duplas do US Open - Al Bello/AFP

Com performances inconstantes no pouco mais de um ano de união, a dupla não era cabeça de chave deste US Open, enquanto os outros finalistas ocupavam a posição de número oito entre os favoritos da disputa.

Na estreia, porém, Soares e Pavic deram um recado ao eliminarem os cabeças número 5, Marcel Granollers e Horacio Zeballos. Depois, ganharam outras três partidas contra duplas que também não estavam entre as favoritas.

Neste ano, a chave teve 32 parcerias, em vez das habituais 64 dos Grand Slams, e por isso a conquista valerá 1.000 pontos no ranking (o normal são 2.000). Essa foi mais uma das medidas excepcionais tomadas pela organização do US Open em razão da pandemia. O prêmio para a dupla vencedora é de US$ 400 mil (R$ 2,1 milhões).

Com o total de seis Slams na carreira, Soares é o segundo tenista mais vitorioso do país nos principais torneios do tênis. Está atrás apenas de Maria Esther Bueno (1939 - 2018), com 19 conquistas.

Marcelo Melo, conterrâneo e contemporâneo de Soares, é o outro brasileiro com títulos em duplas masculinas. Ele ganhou justamente as competições que o seu parceiro de Copa Davis e Olimpíadas nunca venceu, Roland Garros e Wimbledon.

O dia 10 de setembro, além de agora ser a data de dois feitos de Soares (em 2016 a final do US Open também foi nesse dia), é o aniversário do tricampeão de Roland Garros Gustavo Kuerten, 44.

Títulos de Grand Slam de Bruno Soares

Duplas masculinas

US Open (2016 e 2020)

Australian Open (2016)

Duplas mistas

US Open (2012 e 2014)

Australian Open (2016)

Brasileiros vencedores de Grand Slam no profissional

Maria Esther Bueno - 19 (7 em simples, 11 em duplas e 1 em duplas mistas)

Bruno Soares - 6 (3 em duplas e 3 em duplas mistas)

Gustavo Kuerten - 3 (3 em simples)

Marcelo Melo - 2 (2 em duplas)

Thomas Koch - 1 (1 em duplas mistas)

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.