Com dois jogadores com Covid, Napoli é impedido de viajar e pode tomar WO

Autoridades de saúde não deixaram equipe ir a Turim enfrentar a Juventus

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

O Napoli não compareceu à partida marcada para às 15h45 (de Brasília) deste domingo (4), contra a Juventus, em Turim. O time foi impedido de viajar pelas autoridades de saúde locais após dois jogadores, Elmas e Zelinski, receberem resultado positivo para o novo coronavírus.

A Serie A, organizadora do Campeonato Italiano, se recusou a cancelar a partida, já que seu protocolo prevê que os jogos podem acontecer caso as equipes tenham ao menos 13 jogadores saudáveis, entre eles um goleiro.

Na hora marcada para o encontro, os jogadores da Juventus foram ao estádio. O WO, com vitória de 3 a 0 sendo atribuída à equipe de Turim, pode ser declarado, mas a decisão só deve ser confirmada na terça-feira (6).

O Juventus Stadium, em Turim, pronto para receber a partida entre Juventus e Nápoli, que não aconteceu
O Juventus Stadium, em Turim, pronto para receber a partida entre Juventus e Nápoli, que não aconteceu - Vincenzo Pinto/AFP

Segundo o Napoli, porém, o protocolo da entidade entrou em contradição com as recomendações das autoridades de saúde locais, que proibiram a viagem da equipe.

Segundo a Serie A, as autoridades sanitárias napolitanas não cumpriram o combinado com as autoridades do futebol do país, que prevê que os jogadores cujos testes dão negativo podem viajar e jogar normalmente, ainda que haja casos positivos na equipe. A entidade diz ainda que outros jogos ocorreram sob essas circunstâncias.

No último domingo, o Napoli recebeu o Genoa, que teve 17 casos positivos em uma semana. Pelo alto número de infectados, a equipe conseguiu o adiamento de seu jogo contra o Torino, que aconteceria no sábado (3). O protocolo prevê que as equipes podem pedir o adiamento, só uma vez na temporada, se tiverem ao menos 10 casos em uma semana, mesmo que não concomitantemente.

A própria Juventus vive numa "bolha sanitária", após dois membros do clube, que não são jogadores, terem testes positivos.

Em comunicado divulgado neste domingo, o comitê científico que assessora o governo italiano no combate ao coronavírus disse que as autoridades sanitárias da Campânia (província onde fica Nápoles) têm competência sobre as ações tomadas após o surgimento dos casos.

O ministro dos Esportes, Vincenzo Spadafora, por sua vez, pediu que prevaleça "o interesse superior da saúde sobre qualquer lógica", e prometeu que dirá isso ao presidente da Federação Italiana de Futebol e aos responsáveis pela Serie A, com quem se reunirá na segunda (5).

Com informações da AFP

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.