Descrição de chapéu Velocidade

Após acidente impressionante com Grosjean, Hamilton vence GP do Bahrein de F1

Logo após a largada, piloto francês bateu em barreira no circuito e causou explosão

São Paulo

O piloto Romain Grosjean, da Haas, sofreu um impressionante acidente neste domingo (29), durante o GP do Bahrein de F1, vencido pelo inglês Lewis Hamilton. O carro do francês partiu-se ao meio e explodiu em chamas após ele bater no guard rail depois de um choque com a AlphaTauri do russo Daniil Kvyat.

Grosjean sofreu queimaduras leves nas mãos e há uma suspeita de fraturas em costelas. Ele chegou a ficar cerca de 30 segundos dentro do carro após o acidente, mas não perdeu a consciência e conseguiu escapar das chamas.

"Romain está bem, não quero fazer um comentário médico, mas ele tinha queimaduras leves nas mãos e tornozelos. Obviamente, ele está abalado. Quero agradecer às equipes de resgate que foram rápidas. Os comissários e o pessoal da FIA (Federação Internacional de Automobilismo) fizeram um ótimo trabalho, mas foi assustador", disse o chefe da Haas, Gunther Steiner.

O francês foi levado ao centro médico do autódromo de Sakhir e, depois, seguiu de helicóptero para um hospital, a dez minutos do circuito.

De acordo com o médio da FIA, Ian Roberts, a viseira do capacete do piloto derreteu com o calor do fogo. "O visor estava derretido e eu precisava tirá-lo para verificar se ele estava bem", disse Roberts. “Nada entrou no capacete. Do ponto de vista clínico e do risco de vida, estava bem”, acrescentou.

Cockpit do carro de Romain Grosjean após acidente no GP do Bahrein; ele escapou com ferimentos leves
Cockpit do carro de Romain Grosjean após acidente no GP do Bahrein; ele escapou com ferimentos leves - Tolga Bozoglu/Pool/AFP

Após o acidente, ocorrido logo depois da largada, a prova foi interrompida com bandeira vermelha, para que a barreira do guard rail fosse reparada, além da retirada das partes do carro da Haas.

A batida de Grosjean deixou os pilotos impressionados. O inglês Lewis Hamilton destacou a importância dos recursos de segurança dos carros, sobretudo o halo, barra curva colocada para proteger a cabeça. A peça de proteção foi introduzida de forma obrigatória nos carros de F1 a partir de 2018.
“Foi uma imagem chocante de ver. Foi terrível, eu não sei quantos G [força] ele pegou, mas ainda bem que o halo funcionou, que a barreira não arrancou a cabeça dele fora", afirmou Hamilton.
Ross Brawn, diretor esportivo da F1, também citou a importância do halo e lembrou que, quando a peça foi introduzida, houve críticas de algumas equipes pela mudança estética na aparência dos carros. "É preciso dar crédito ao Jean Todt [presidente da FIA], porque ele insistiu que precisávamos do halo. Teríamos uma situação diferente se não fosse isso."
Horas após o acidente, no hospital, Grosejan creditou à peça de segurança o fato de ter sobrevivido. "Não era fã do halo, mas sem ele eu não conseguiria estar aqui falando com vocês. Obrigado a todos envolvidos no resgate", disse o piloto, em um vídeo publicado em seu Instagram.

O diretor esportivo da F1 disse, ainda, que foi uma falha de segurança o carro da Haas ter atravessado o guard rail. "Faremos uma investigação profunda para entender o que podemos aprender com isso. Ver um guard rail rachando assim não é o que queremos", afirmou Brawn.

A etapa do Bahrein ficou suspensa por quase uma hora e meia até a conclusão do reparo do guard rail. Quando foi reiniciada, houve um novo acidente, desta vez com Lance Stroll. O piloto da Racing Point capotou o carro após bater na roda dianteira do carro de Danill Kvyat, da AlphaTauri.

Stroll conseguiu sair do carro sem ferimentos graves, mas o safty car precisou entrar na pista porque a Racing Point dele ficou de cabeça para baixo.

Em entrevista à TV Globo após deixar a prova, Stroll lamentou o ocorrido: "Desde o GP da Itália, em Monza, marquei apenas dois pontos. É uma piada, sempre alguma coisa dá errado".

Após a terceira largada, o inglês Lewis Hamilton, que largou na pole, conseguiu se manter na ponta até o fim para conquistar sua 95ª vitória na F-1. Max Verstappen e Albon, da Red Bull, completaram o pódio, em segundo e terceiro, respectivamente.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.