Descrição de chapéu Velocidade

F1 confirma GP de São Paulo em Interlagos até 2025

Prova ganha novo nome e promotor após longa negociação para ficar no calendário

São Paulo

A F1 confirmou nesta quarta-feira (16) que o autódromo de Interlagos receberá GPs da categoria até 2025.

A renovação do contrato entre São Paulo e a empresa Liberty Media —que controla a FOM (Formula One Management), braço comercial da categoria— havia sido anunciada pelo governador João Doria e pelo prefeito Bruno Covas, ambos do PSDB, em 12 de novembro, após longa negociação. Na ocasião, a F1 não havia se pronunciado.

"O Brasil é um mercado muito importante para a Fórmula 1, com fãs dedicados e uma longa história no esporte. A corrida no Brasil sempre foi um destaque para nossos fãs, pilotos e parceiros e estamos ansiosos para proporcionar aos fãs uma corrida emocionante em Interlagos em 2021 e nos próximos cinco anos", disse Chase Carey, CEO da F1.

Neste ano, a prova no país foi cancelada pela pandemia da Covid-19. A do ano que vem está marcada para 14 de novembro.

O evento passará a ser gerido pela empresa Brasil Motorsport, controlada pela Mubadala, baseada em Abu Dhabi. O novo promotor será o executivo Alan Adler, em substituição a Tamas Rohonyi. Este último é dono da Interpub, que foi a responsável pelas operações do GP em Interlagos desde 1990.

"Acredito que, a partir da experiência que temos com importantes marcas globais, podemos fazer um grande trabalho unindo esporte, marcas e entretenimento. Com isso, vamos proporcionar novas experiências para o público, dentro e fora das pistas”, afirmou Adler. Ele é CEO da IMM, braço da Mubadala no Brasil e que organiza o Rio Open de tênis.

O contrato anterior de Interlagos, válido até 2020, havia sido firmado em 2014 entre Rohonyi e Bernie Ecclestone, ex-chefe da FOM, sem a cobrança da chamada taxa de promotor —variável, ela passa US$ 20 milhões para a maioria das provas.

Com o novo contrato, a taxa passará a ser paga por São Paulo. O seu valor não foi revelado.

A F1 também confirmou a mudança de nome oficial do GP Brasil para GP de São Paulo, atendendo à vontade do poder público municipal e estadual, comandados pelos tucanos.

Apesar de a categoria ter flertado com o Rio de Janeiro para levar a corrida para a cidade, o autódromo prometido pelos cariocas na região de Deodoro ainda nem saiu do papel, devido a impedimentos ambientais. O local escolhido para a construção está localizado na floresta de Camboatá, área de mata atlântica na zona oeste da capital.

"Fizemos um grande esforço para manter a corrida na nossa cidade. Aqui temos infraestrutura para turistas e serviços de boa qualidade. Acreditamos que a realização do Grande Prêmio, além de divulgar a cidade para todo o mundo, vai trazer contribuições importantes para a geração de empregos e renda para a população", afirmou Bruno Covas.

"Temos estudos que mostram que, para cada R$ 1 investido no GP de São Paulo, temos o retorno de R$ 5,20 para a economia local”, completou.

CALENDÁRIO PROVISÓRIO DA F-1 EM 2021

21 de março, Austrália (Melbourne)
28 de março, Bahrein (Sakhir)
11 de abril, China (Xangai)
25 de abril, a ser confirmado
9 de maio, Espanha (Barcelona)
23 de maio (Monaco)
6 de junho, Azerbaijão (Baku)
13 de junho, Canadá (Montreal)
27 de junho, França (Le Castellet)
4 de julho, Áustria (Spielberg)
18 de julho, Reino Unido (Silverstone)
1º de agosto, Hungria (Budapeste)
29 de agosto, Bélgica (Spa)
5 de setembro, Holanda (Zandvoort)
12 de setembro, Itália (Monza)
26 de setembro, Rússia (Sochi)
3 de outubro, Singapura
10 de outubro, Japão (Suzuka)
24 de outubro, Estados Unidos (Austin)
31 de Outubro, México (Cidade do México)
14 de novembro, Brasil (São Paulo)
28 de novembro, Arábia Saudita (Jidá)
5 de dezembro, Emirados Árabes Unidos (Abu Dhabi)

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.