Descrição de chapéu Copa Libertadores 2020

Argentina tem mais semis de Libertadores na década, e Brasil, mais títulos

Brasileiros registram 100% de aproveitamento contra times argentinos em finais

São Paulo

Países com o maior número de títulos de Copa Libertadores, Argentina e Brasil dividem o protagonismo nas semifinais da atual edição do torneio continental –que apesar de terminar em 2021, em razão da pandemia, vale pela temporada 2020.

A presença de Palmeiras, Santos, River Plate e Boca Juniors entre os quatro melhores da América do Sul ilustra um equilíbrio que pôde ser visto ao longo de toda a década.

Os argentinos levam pequena vantagem com relação aos rivais em presenças de semifinalistas desde 2011: 14 contra 13 dos brasileiros.

Lucas Lima e Sebastián Villa em duelo entre Palmeiras e Boca Juniors, pela Libertadores de 2018
Lucas Lima e Sebastián Villa em duelo entre Palmeiras e Boca Juniors, pela Libertadores de 2018 - Nelson Almeida - 31.out.2018/AFP

A liderança dos vizinhos é puxada pela dupla River Plate e Boca Juniors, especialmente o time comandado por Marcelo Gallardo, que está em sua quarta semifinal consecutiva de Libertadores, a quinta em seis anos. Desempenho que proporcionou à equipe dois títulos e um vice-campeonato sob o comando do treinador.

"Hoje, voltar a jogar uma semifinal é motivo de orgulho. O esforço que se faz é muito grande para estar nessa situação. Todos os que jogaremos a semifinal de uma Copa [Libertadores] como esta é porque merecemos estar aqui", disse Gallardo, habituado a figurar no topo da América, após a classificação sobre o Nacional, do Uruguai.

O Boca vem logo atrás do River, com quatro semifinais no período. Ao contrário de seu arquirrival, porém, não tem conseguido transformar essa presença em taças. A última conquistada pelo clube foi em 2007.

A Argentina também teve pelo menos um representante entre os quatro melhores em todas as edições da Libertadores desde 2011. Já o Brasil não colocou nenhum time do país nas semifinais de 2014 –o Cruzeiro, brasileiro que foi mais longe, caiu nas quartas para o San Lorenzo, que seria campeão.

Entre os brasileiros, Santos e Grêmio são os clubes com maior assiduidade na fase semifinal nesta década, com três participações nesse estágio da competição. Cada um conquistou um título.

Apesar de somar menos presenças na fase semifinal, quando o assunto é conquista de títulos o Brasil supera os argentinos. Inclusive, com 100% de aproveitamento nos confrontos diretos entre eles em finais do torneio.

Desde 2011, cinco clubes brasileiros foram campeões: Santos (2011), Corinthians (2012), Atlético-MG (2013), Grêmio (2017) e Flamengo (2019). Desses títulos, três foram conquistados sobre equipes da Argentina.

Os corintianos bateram o Boca Juniors, em 2012, e levantaram seu primeiro troféu de Libertadores na história. Em 2017, foi a vez de o Grêmio celebrar o tricampeonato ao superar o Lanús. Na última edição do torneio, em jogo único disputado na cidade de Lima, o Flamengo venceu o River Plate e faturou sua segunda taça continental.

Três argentinos venceram o torneio no período. O San Lorenzo foi campeão pela primeira vez, em 2014, superando os paraguaios do Nacional na decisão. Em 2015, o River Plate bateu o Tigres, do México, para conquistar sua primeira Libertadores sob o comando de Gallardo, a terceira na história do clube.

Os comandados de Gallardo voltaram a levantar o troféu em 2018, na final mais célebre da história da Copa Libertadores. Em partida transferida para Madri após torcedores do River apedrejarem o ônibus do Boca na chegada ao Monumental, o time de Nuñez venceu o arquirrival no Santiago Bernabéu e comemorou o tetracampeonato.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.