Contra reservas do Santos, São Paulo sofre segunda derrota seguida no Brasileiro

Time alvinegro conquista a sua primeira vitória em clássicos na temporada

São Paulo

Após ser superado por 4 a 2 pelo Red Bull Bragantino, o São Paulo voltou a ser derrotado neste domingo (10), desta vez em casa, por 1 a 0, diante do Santos. Jobson fez o gol da vitória alvinegra no clássico paulista.

Foi a primeira vez nesta edição do Campeonato Brasileiro que o time tricolor, líder da competição, perdeu duas partidas consecutivas no torneio. Uma frustração que ficou ainda maior pelo fato de o rival alvinegro ter atuado com uma equipe formada por reservas.

Com o resultado, o time de Fernando Diniz segue estacionado nos 56 pontos e viu diminuir a vantagem para o Internacional, o segundo colocado. Também neste domingo, a equipe gaúcha derrotou o Goiás por 1 a 0, em Porto Alegre, e chegou aos 53 pontos.

No Maracanã, o Flamengo perdeu a chance de também encostar no time do Morumbi, ao ser derrotado pelo Ceará, por 2 a 0, e permanecer com 49 pontos.

O Atlético-MG, terceiro colocado com 49 pontos e dois jogos a menos que o São Paulo, também pode se aproximar do líder. Nesta segunda (11), o time encara o Red Bull Bragantino, em Minas Gerais.

Já o Santos foi a 42 pontos e ainda festejou a sua primeira vitória em clássicos nesta temporada.

Jobson (à esq.) celebra gol contra pelo Santos contra o São Paulo no Morumbi
Jobson (à esq.) celebra gol contra pelo Santos contra o São Paulo no Morumbi - Amanda Perobelli/Reuters

Cuca poupou quase todos os seus principais jogadores para o segundo jogo contra o Boca Juniors, pela semifinal da Libertadores, quarta-feira (13), às 19h15, na Vila Belmiro. Dos titulares, apenas Lucas Braga iniciou o clássico. Sandry, outra peça importante, também começou o duelo.

Quase completo, o São Paulo teve o desfalque de Luciano. Ele se recupera de uma inflamação no joelho esquerdo. Pablo foi quem o substituiu, sem conseguir repetir as boas apresentações do titular.

Com exceção a uma bola na trave, em boa finalização do santista Arthur Gomes, aos 23 minutos, a etapa inicial teve atuações tecnicamente muito fracas de ambas as equipes.

A forte chuva que caía no Morumbi e encharcava o gramado também não ajudava o jogo de troca de passes do São Paulo. O time da casa passava mais tempo com a bola, mas não exigiu nenhuma defesa de João Paulo, enquanto o Santos esperava chances claras de engatar contra-ataques, sem se arriscar.

À beira do gramado, Cuca parecia mais insatisfeito do que Diniz, ao menos era o treinador santista quem mais gritava, pedindo para seus atletas avançarem ao ataque. O técnico tricolor, bem mais comedido do que nos últimos jogos, passava orientações mais pontuais.

Depois do intervalo, nem o gol santista logo no primeiro minuto de bola rolando mudou a postura de Diniz. Ele apenas abaixou a cabeça quando Jobson recebeu a bola na área e, após disputa com a zaga, finalizou de bico para abrir o placar.

A reação do técnico do São Paulo em nada lembrava o ataque de fúria da última rodada, quando vendo a sua equipe ser goleada pelo Red Bull Bragantino, ele passou a gritar com Tchê Tchê e a chamar o jogador de "perninha, ingrato e mascadarinho" —suspenso, o meio campista não atuou no clássico.

Após o jogo, o treinador disse que pediu desculpas ao jogador. "Foi um erro que eu cometi em ter exposto o Tchê Tchê. Pedi desculpa para ele para o grupo."

Somente a partir da metade da etapa final do clássico, com os donos da casa ainda com dificuldade para chegar ao gol e buscar o empate, é que Diniz passou a gritar novamente com seus jogadores, desta vez, no entanto, sem direcionar suas broncas a um alvo específico.

Ele também fez mudanças na equipe, ao colocar Vitor Bueno, Tréllez e Gonzalo Carneiro em campo. Cuca respondeu colocando cinco titulares para jogar: Luan Peres, Alison, Diego Pituca, Pará e Kaio Jorge.

Com contra-ataques mais perigosos, sobretudo com Kaio Jorge e Lucas Braga, o Santos passou a ficar mais perto do segundo gol do que de sofrer o empate.

Nos minutos finais, os donos da casa ainda tentaram uma pressão, mas pararam em boas defesas de João Paulo. O Santos segurou a primeira vitória em clássicos na temporada.

Até então, a equipe alvinegra havia disputado sete clássicos, com três derrotas, uma delas para o São Paulo, e quatro empates, também um deles diante do rival tricolor.

Na próxima rodada, o São Paulo vai enfrentar o Athletico, domingo (17), às 16h, fora de casa. Já o Santos, depois do duelo com o Boca pela Libertadores, encara o Botafogo, também no domingo (17), na Vila.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.