Coronavírus tira Auckland City, da Nova Zelândia, do Mundial de Clubes

Segundo a Fifa, não foi possível chegar a um acordo com autoridades do país

São Paulo

O Auckland City desistiu da disputa do Mundial de Clubes da Fifa, marcado para começar no dia 1º de fevereiro, no Qatar.

"A Fifa foi informada pelo Auckland City FC que, em razão da pandemia da Covid-19 e das restrições adotadas pelas autoridades da Nova Zelândia, o clube não poderá participar do Mundial", diz a nota da federação internacional.

Os requisitos neozelandeses com relação a quarentena e isolamento são mais rígidos que os exigidos pela Fifa, segundo a própria entidade, o que tornou impossível encontrar uma solução.

A Fifa reforçou a mensagem de que seus protocolos são seguros.

Diferentemente de muitos lugares do mundo, o Qatar, que sediará o torneio, não vive uma segunda onda da pandemia, pelo menos por enquanto. Registrou, até esta quinta (14), 146.689 casos e 246 mortes.

O dia 30 de maio de 2020 marcou o recorde de novos casos da Covid-19 no país, com 2.355. Atualmente, gira em torno de 200 por dia.

Estádio Khalifa antes da final do Mundial de 2019, entre Liverpool e Flamengo
Estádio Khalifa antes da final do Mundial de 2019, entre Liverpool e Flamengo - Giuseppe Cacace - 21.12.2019/AFP

O Auckland venceu a Copa dos Campeões da Oceania. Nenhum clube será convidado para o seu lugar. Assim, o Al Duhail, time da casa, que disputaria a primeira rodada contra a equipe da Nova Zelândia, passou para a segunda fase automaticamente.

Além da equipe qatari, também jogam o Mundial Al Ahly (Egito), Bayern (Alemanha), Ulsan Hyundai (Coreia do Sul), Tigres (México) e o vencedor da final da Libertadores: Santos ou Palmeiras.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.