Descrição de chapéu Mundial de Clubes 2020

Entenda as origens da provocação sobre Palmeiras não ter Mundial

Historiador palmeirense investigou raízes da brincadeira, que pode acabar no dia 11

São Paulo

Na porta de cada camarote corporativo no Allianz Parque há uma placa identificando quem alugou o espaço. A Mondial, empresa de eletrodomésticos, resolveu fazer uma brincadeira. Em vez de apenas exibir sua marca, pôs a frase: "O Palmeiras tem Mondial".

Trata-se de chiste a partir de piada que se tornou tão forte nos últimos anos que pode parecer muito antiga. Mas a frase "o Palmeiras não tem Mundial" é algo recente, ainda que não se saiba exatamente quando se tornou um hit entre os rivais dos alviverdes.

De acordo com pesquisa do jornalista e historiador palmeirense Fernando Galuppo, a troca de provocações com os corintianos a respeito do tema surgiu há 21 anos.

"Eu investiguei os precedentes, e tudo começou com uma capa do jornal A Gazeta Esportiva. Aconteceu em janeiro de 2000, depois de o Corinthians ganhar o Mundial daquele ano e de um clássico contra o Palmeiras dias depois", afirma Galuppo.

Em 14 de janeiro, o Corinthians derrotou, nos pênaltis, o Vasco para conquistar o torneio em um novo modelo adotado pela Fifa. Logo em seguida, o diário paulistano enviou um fax à entidade para confirmar se o clube alvinegro seria o primeiro campeão mundial da história.

A resposta foi positiva, e aquilo virou a capa do jornal. Foi o início de uma polêmica com torcedores de São Paulo e Santos, que àquela altura haviam conquistado duas vezes cada um a antiga Copa Intercontinental. Anos depois a entidade reconheceu também essas conquistas como mundiais.

Quase dois meses antes, em 30 de novembro de 1999, o Palmeiras havia perdido para o Manchester United por 1 a 0 na final do Intercontinental, em Tóquio.

"Esse fax foi mandado pelo Flavio Adauto, que era diretor do jornal e é corintiano. Quando a Fifa enviou a resposta, ele colocou na capa do diário", completa Galuppo.

Sócio e conselheiro do Corinthians, Adauto foi diretor de futebol em 2017, quando a equipe conquistou o título brasileiro.

"Eu não me lembro se a ideia foi minha, mas me recordo do fato. É verdade, aquilo aconteceu. Não sei se foi o estopim para essa discussão sobre o Mundial do Palmeiras, mas o envio do fax é verdadeiro e a capa também", confirma Adauto.

Treze dias depois da decisão no Maracanã, em 27 de janeiro de 2000, a discussão ganhou as arquibancadas. Corinthians e Palmeiras se enfrentaram pelo Torneio Rio-São Paulo.

"Foi quando virou galhofa entre as torcidas. Pela primeira vez os torcedores corintianos cantaram uma música que dizia 'sou campeão do mundo e você não conseguiu', e a do Palmeiras respondeu com 'Libertadores o Corinthians nunca viu e nem vai ver'", relata o historiador.

A polêmica logo depois tomou a imprensa. Flavio Adauto escreveu colunas defendendo que o Corinthians era o único campeão mundial, título que faltava ao arquirrival. Roberto Avallone, jornalista e palmeirense histórico, morto em 2019, devolvia com outros textos dizendo que o time alviverde já havia vencido a mesma competição.

Ele citava a Copa Rio de 1951, primeiro troféu internacional de clubes e que foi vencido pelo Palmeiras sobre a Juventus (ITA) no Maracanã. O clube reivindicou ter seu feito reconhecido como um título mundial equiparado aos mais recentes pela Fifa, mas não obteve sucesso.

Réplica da taça da Copa Rio de 1951, título que o Palmeiras considera o seu Mundial, entregue ao jogador Brandãozinho
Réplica da taça da Copa Rio de 1951, título que o Palmeiras considera o seu Mundial, entregue ao jogador Brandãozinho - Adriano Vizoni - 13.ago.19/Folhapress

"Aquilo foi Mundial. E como foi!", dizia Brandãozinho, último sobrevivente daquele título, em entrevista à Folha em 2019. Ele morreu no início deste ano.

Pelos anos seguintes, a troca de provocações prosseguiu, sempre mais forte com o Corinthians. Santistas e são-paulinos davam ressonância ao fato de o time de Parque São Jorge nunca ter vencido a Libertadores. Quando isso aconteceu, em 2012, a brincadeira perdeu o sentido. Sobrou a de o Palmeiras não ter um Mundial, que só cresceu nos últimos anos e ultrapassou fronteiras estaduais.

Quando o Flamengo foi disputar o Mundial em Doha, no Qatar, em 2019, alguns torcedores levaram cartazes com a frase "Palmeiras não tem Mundial".

É a mesma cidade em que a brincadeira poderá terminar na próxima semana. No dia 11, a equipe brasileira poderá fazer a final do torneio e conquistar o título.

Antes disso, entrará em campo no domingo (7) pela semifinal, diante do vencedor do confronto entre Tigres (MEX) e Ulsan Hyundai (COR), nesta quinta-feira (4).

A polêmica sobre o reconhecimento da Copa Rio

O Palmeiras considera a conquista da Copa Rio de 1951 como um título mundial. Em 2014, ano em que o Brasil sediou a Copa do Mundo, o clube contou com lobby do então ministro do esporte, o palmeirense Aldo Rebelo, e recebeu um fax enviado pelo secretário-geral da Fifa à época, Jérôme Valcke, reconhecendo a competição como o primeiro título mundial de clubes da história.

Em 2017, porém, o conselho da Fifa homologou somente a Copa Intercontinental, disputada entre 1960 e 2004, como um título mundial, a exemplo do Mundial de Clubes organizado pela Fifa a partir de 2000. O conselho não considerou a Copa Rio, torneio realizado no Brasil em 1951 e 1952, como mundiais.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.