Palmeiras deixa rivais para trás e assume vice-liderança do Ranking Folha

Campeã da Libertadores, equipe verde ultrapassa São Paulo e Corinthians

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

A produtiva temporada 2020 do Palmeiras lhe proporcionou um salto no Ranking Folha do futebol nacional. Vencedora do Campeonato Paulista, da Copa do Brasil e da Copa Libertadores, a equipe alviverde acumulou pontos que a puseram na segunda colocação.

O desempenho nessas competições rendeu ao clube 60 pontos. Foram 10 pelo título estadual, 15 pela conquista nacional de mata-mata e outros 35 pelo triunfo continental, soma que fez o clube da zona oeste paulistana deixar seus principais rivais para trás.

Agora com 985 pontos, o Palmeiras ultrapassou o São Paulo, estacionado nos 953, e o Corinthians, que, com o vice-campeonato paulista, chegou aos 934. A liderança continua nas mãos do Flamengo, que levou o Campeonato Brasileiro e atingiu a marca de 1.121 pontos.

O salto dado pelos palmeirenses poderia ter sido maior com uma participação menos ruim no Mundial de Clubes. A esperada classificação à final teria valido mais 25 pontos; a eventual conquista da taça, outros 15.

O time verde, porém, deixou o torneio no Qatar sem marcar um gol. Perdeu o confronto semifinal para o mexicano Tigres por 1 a 0 e foi superado também na disputa pelo terceiro lugar, contra o egípcio Al Ahly, vencedor da disputa por pênaltis após empate por 0 a 0.

Em território sul-americano, por outro lado, o desempenho foi excelente. O Palmeiras precisou abrir mão da briga pelo Campeonato Brasileiro no calendário apertado pelo sucesso, mas superou os adversários que cruzaram seu caminho no Paulista, na Copa do Brasil e na Libertadores.

A glória estadual foi obtida sob comando de Vanderlei Luxemburgo, demitido posteriormente após uma sequência ruim de resultados. Quem assumiu o grupo em seu lugar foi o português Abel Ferreira, bastante elogiado pela condução dos jogadores.

“Além de ser inteligente e calmo, ele estuda bastante os adversários com a comissão dele. Saímos vitoriosos em confrontos importantes porque fizemos o que ele pediu. Para mim, é um gênio”, afirmou o jovem volante Danilo.

O Palmeiras só não conseguiu se manter até o fim na acirrada disputa pelo Nacional de pontos corridos, vencido pelo Flamengo. A agremiação rubro-negra, que já havia faturado 5 pontos com a conquista da Recopa Sul-Americana e outros 10 ao erguer a taça do Campeonato Carioca, somou mais 25 no Brasileiro.

Tal desempenho acabou ampliando a vantagem vermelha e preta na liderança do ranking. Na edição 2019, a diferença para o segundo colocado, o São Paulo, era de 128 pontos. Agora, é de 136 a distância para o vice-líder, o Palmeiras.

Famoso por apontar a superioridade do Flamengo sobre os adversários ao fim do vitorioso 2019, o atacante Bruno Henrique voltou a brincar sobre a prateleira ocupada pelo clube da Gávea no cenário nacional: “Estamos em outro patamar mesmo”.

Se não mudou o dono da primeira posição, três equipes além do Palmeiras subiram na classificação. Uma delas foi o Internacional (762 pontos), que ficou com o vice-campeonato brasileiro. O time ultrapassou o Vasco (757) e assumiu a oitava colocação.

Já a Chapecoense (71), campeã catarinense, pulou do 30º para o 27º posto, ultrapassando Bangu (70), Guarani (69) e São Caetano (67). O São Caetano também foi superado pelo Brasiliense (68), que assumiu o 30º posto sendo vice-campeão candango e campeão da Copa Verde.

O Ranking Folha, publicado desde 1996, é uma classificação histórica do desempenho dos times brasileiros. Ele distribui pontos por títulos ou vice-campeonatos em competições estaduais, regionais, nacionais e internacionais de primeira divisão.

Pontuação do Ranking Folha do futebol nacional ​

Estaduais Campeão Vice
SP e RJ 10

7

MG e RS 7 3
BA, CE, GO, PE, PR e SC 6 2
Outros 5 1
Outros torneios
Torneio Rio-São Paulo

10

5
Demais regionais 7 3
Copa dos Campeões (de 2000 a 2002) 7 3
Taça Brasil (de 1959 a 1968) 15 10
Copa do Brasil (desde 1989) 15 10
Roberto Gomes Pedrosa (de 1967 a 1970) 20 13
Campeonato Brasileiro (desde 1971) 25 15
Torneio Sul-Americano (1948) 15 -
Recopa Sul-Americana (desde 1988) 5 -
Supercopa (de 1988 a 1997) 15 10
Copa Conmebol (de 1992 a 1999) 15 10
Copa Mercosul (de 1998 a 2001) 15 10
Copa Sul-Americana (desde 2002) 15 10
Libertadores (desde 1960) 35 20
Torneio Intercontinental 30 -
Mundial de Clubes (desde 2000) 40 25

Perguntas e respostas sobre o Ranking Folha

Desde quando o Ranking Folha de futebol é feito?
A primeira edição do ranking nacional é de 1996. Desde então, a lista passou por modificações, correções e revisões. A última grande revisão aconteceu em 2010. O ranking mundial começou a ser publicado em 2002 e segue as mesmas diretrizes da lista nacional.

Quem entra no Ranking Folha?
No ranking nacional só aparecem times que somaram pontos (foram campeão ou vice) em competições nacionais ou internacionais. No ranking mundial, apenas aqueles que pontuaram em torneios internacionais.

Quais são os torneios considerados?
Para entrar no ranking, um torneio precisa ter grande representatividade, cunho oficial e sequência. Assim, campeonatos disputados só uma vez e sem perspectiva de novas edições, como os supercampeonatos realizados em alguns estados em 2002, são desconsiderados. Também não rendem pontos para o ranking torneios como Copa Rio, Copa Suruga, Supercopa do Brasil e Florida Cup, entre outros.

Por que os Estaduais de Rio e São Paulo valem mais?
Rio e São Paulo possuem os dois mais tradicionais e fortes campeonatos estaduais do país, por isso, rendem mais pontos no ranking. Na sequência, estão os estaduais de Minas Gerais e Rio Grande do Sul, que também contam com equipes de grande destaque no cenário nacional. Há ainda um terceiro nível em que estão os estaduais com times que frequentemente estão na elite do futebol brasileiro e, por último, campeonatos de estados com menor tradição no cenário do futebol nacional.

Por que o Brasileiro de 1987 é contabilizado tanto para o Flamengo quanto para o Sport?
O ranking tenta levar em conta tanto o aspecto oficial quanto o aspecto técnico dos campeonatos considerados. Pelo aspecto oficial, como já decidido pelo STF, o campeão é o Sport. Porém, pelo aspecto técnico, é inegável o mérito do Flamengo como campeão do Módulo Verde, que reunia os principais times do país. Por isso, ambos são considerados.

Por que torneios disputados por apenas dois clubes, como a Recopa Sul-Americana, não dão pontos ao vice?
Toda equipe que participa de um torneio como esse já foi bonificada, já que reúne vencedores de competições prévias. Não seria lógico ter um time pontuando onde só fracassou.

Por que o título paulista do São Paulo da Floresta não é computado para o São Paulo?
São consideradas as conquistas a partir da última fundação dos clubes. Em caso de fusões, como a do Paraná, não valem as conquistas dos times que deram origem à nova equipe.

Campeonatos de segunda divisão valem pontos?
Não. O ranking tem como meta premiar a excelência, e campeonatos de divisões inferiores têm como maior função distribuir vagas para a divisão de elite.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.