Italo Ferreira supera Medina e vence etapa do Mundial de surfe em Newcastle

Vitória do potiguar na decisão australiana o coloca na liderança da temporada 2021 da WSL

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Em mais uma disputa brasileira no Mundial de surfe, Italo Ferreira, 26, bateu Gabriel Medina, 27, para vencer a etapa de Newcastle, na Austrália, segunda da temporada 2021 da WSL (World Surf League).

Newcastle fica no estado de Nova Gales do Sul, a 160 km de Sydney, costa leste da Austrália.

Italo somou 14.94 nas suas duas melhores ondas da final deste sábado (10), contra 13.27 de Medina. Assim, o atleta do Rio Grande do Norte assumiu a liderança da temporada, com 16.085 pontos, deixando o paulista na segunda posição, com 15.600.

Italo Ferreira pega uma onda
Italo Ferreira durante a etapa de Newcastle (Austrália) do Mundial de surfe - WSL

O evento de Newcastle foi marcado por um ótimo desempenho de mais surfistas brasileiros. Italo derrotou Filipe Toledo, 25, nas semifinais. Deivid Silva, 26, e Adriano de Souza, o Mineirinho, 34, avançaram até as quartas. Este último, campeão mundial em 2015, faz sua temporada de despedida do circuito.

Se não levou o título, Medina fez o aéreo mais impressionante da semana, que lhe deu uma nota 9.70 nas semifinais.

O havaiano John John Florence, vencedor da etapa inaugural da temporada, em Pipeline, ainda em dezembro de 2020, caiu cedo desta vez e foi para a terceira posição (11.330 pontos). Medina, que na ocasião perdeu para ele num duelo de bicampeões mundiais, agora soma dois vices na temporada.

O encontro entre Gabriel e Italo na decisão deste sábado repetiu a final de Pipeline em 2019, quando o potiguar derrotou o paulista e sagrou-se campeão mundial de forma inédita, e também a semifinal da etapa realizada na mesma praia do Havaí em dezembro, esta vencida pelo bicampeão mundial.

A havaiana Carissa Moore, também autora de um belo aéreo, venceu entre as mulheres e assumiu a liderança, que era da australiana Tyler Wright até então. A brasileira Tatiana Weston-Webb caiu nas oitavas de final. Ela ocupa a quinta posição na classificação.

O circuito ficou parado por mais de três meses porque duas etapas que seriam realizadas nos EUA no início do ano foram canceladas por conta da pandemia de Covid-19. Assim, a WSL optou por engatar uma sequência de quatro eventos entre abril e maio na Austrália, país bem-sucedido no combate ao coronavírus e com diversas opções de praias para a elite do esporte.

Multidão vê surfista saindo do mar
Italo Ferreira é celebrado por público após sair da água como campeão da etapa de Newcastle (Austrália) da WSL; governo local permitiu até 3.000 espectadores por dia no evento - WSL/Dunbar

O retorno das competições foi realizado após os atletas cumprirem quarentena de 15 dias num hotel em Sydney na chegada ao país.

Nos ajustes realizados para a perna australiana ficaram fora do calendário as tradicionais etapas de Snapper Rocks e Bells Beach. Foi mantida a também tradicional disputa em Margaret River, e entraram no circuito três novos locais: Newcastle, Narrabeen e Rottnest Island.

Narrabeen, que assim como Newcastle fica Nova Gales do Sul, será a próxima parada, a partir de sexta-feira (16).

A WSL anunciou neste sábado que a etapa brasileira, em Saquarema (RJ), foi adiada de junho para agosto, depois da Olimpíada. Após sair da Austrália, a elite do surfe será esperada para as etapas do Surf Ranch (piscina de ondas na Califórnia), de 25 a 27 de junho, e outra novidade: Barra de La Cruz, em Oaxaca, no México, de 5 a 15 de julho.

Gabriel Medina pega uma onda
Gabriel Medina durante a etapa de Newcastle (Austrália) do Mundial de surfe - WSL
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.