Palmeiras volta a falhar nos pênaltis e perde Recopa para Defensa y Justicia

Equipe leva gol aos 48 da etapa final, desperdiça penal na prorrogação e fracassa no desempate

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

​Superado pelo Flamengo nos pênaltis na Supercopa do Brasil, o Palmeiras voltou a falhar nos tiros da marca penal. A equipe alviverde foi derrotada por 2 a 1 pelo Defensa y Justicia, na noite de quarta-feira (14), em Brasília, e perdeu o título da Recopa Sul-Americana no desempate: 4 a 3.

Os comandados de Abel Ferreira haviam triunfado no jogo de ida, na Argentina, por 2 a 1. Entraram em vantagem na tentativa de levantar o troféu e saíram na frente, mas levaram a virada nos acréscimos, desperdiçaram um pênalti na prorrogação e fracassaram nas batidas decisivas.

Atletas do Defensa comemoram a falha decisiva de Weverton - Ueslei Marcelino/Reuters

Gómez errou no tempo extra. Luiz Adriano e Weverton escorregaram na sequência. Assim, o time paulista repetiu o resultado que havia obtido em fevereiro, contra o Al Ahly, na disputa por pênaltis pelo terceiro lugar do Mundial, e no último domingo (11), no duelo com o Flamengo pela Supercopa.

Na Recopa, o confronto entre os vencedores das competições continentais da América do Sul, o campeão da Copa Libertadores encontrou dificuldades diante do dono da Copa Sul-Americana. Os atletas dirigidos por Sebastián Beccacece mostraram ótima capacidade de trocar passes.

Na partida que definiu o título –marcada para Brasília em um momento no qual estavam proibidos eventos esportivos em São Paulo–, a formação alviverde repetiu sua estratégia de velocidade. E abriu o placar em uma jogada de agilidade, que resultou em pênalti.

Raphael Veiga fez boa cobrança, aos 23 minutos do primeiro tempo, mas o Defensa y Justicia procurou não se abalar, mantendo seu toque de bola e explorando sobretudo as costas do lateral esquerdo Viña. Foi por ali, aos 30, que chegou ao empate, com Braian Romero.

Romero finaliza uma de muitas jogadas criadas nas costas de Viña - Ueslei Marcelino/AFP

Na etapa final, o Palmeiras se viu em situação difícil com a expulsão de Viña, aos 23, por agressão em Frías. Conseguiu se proteger até os 48 minutos, quando Weverton não segurou um chute de fora da área de Benítez.

Mesmo com um a menos, o time verde obteve um pênalti, seguido de confusão e expulsão do atacante Romero, do Defensa, no primeiro tempo extra. Gómez, porém, falhou na cobrança, executando mal a batida e parando no goleiro Unsain.

O placar não voltou a ser movimentado até o apito final da segunda etapa da prorrogação. A decisão ficou mesmo para o desempate, no qual os jogadores da formação argentina se mostraram mais precisos, convertendo suas quatro tentativas.

Pelo Palmeiras, Gabriel Menino, Gustavo Gómez e Rony balançaram a rede. Luiz Adriano acertou o poste. E, no chute que acabou decidindo o campeonato, o goleiro Weverton finalizou por cima, para festa do pequeno Defensa y Justicia no Mané Garrincha.

Luiz Adriano e Weverton erraram suas batidas no desempate - Buda Mendes/Reuters
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.