Taubaté bate Minas e conquista o bi na Superliga masculina de vôlei

Equipe paulista, com cinco campeões olímpicos, confirma favoritismo e 2º troféu seguido

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

O EMS Taubaté Funvic sagrou-se bicampeão da Superliga de vôlei ao vencer o Minas Tênis Clube por 3 sets a 0 (25/20, 25/22 e 25/17), nesta sexta-feira (16), no centro de desenvolvimento da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV), em Saquarema (RJ).

O levantador Bruninho foi eleito o melhor jogador do confronto decisivo. Já o ponteiro Maurício Borges recebeu o prêmio de MVP da temporada.

No primeiro duelo da série melhor de três partidas, o Taubaté havia vencido o Minas com mais dificuldade, por 3 sets a 2 (25/18, 22/25, 23/25, 25/16 e 15/11), na quarta-feira (14). O ponteiro Douglas Souza foi eleito o melhor em quadra na ocasião, e o oposto Felipe Roque fez a diferença no ataque, com 23 pontos.O Minas precisava ganhar nesta sexta para provocar a terceira partida.

Jogadores vibram com medalhas e troféu
Jogadores do Taubaté comemoram com a taça de campeão da Superliga de vôlei - Wander Roberto/Inovafoto/CBV

Os taubateanos entraram em quadra como últimos campões, pois tinham conquistado a Superliga 2018/2019. A temporada 2019/2020 foi encerrada sem a definição de finalistas por causa da pandemia de Covid-19.

Formada em 2013, a equipe do Vale do Paraíba se consolidou na modalidade e é uma das poucas que conseguiram superar o domínio do Sada Cruzeiro nos anos recentes. Na campanha vitoriosa de 2018/2019, os paulistas interromperam uma sequência de cinco conquistas seguidas dos mineiros.

Comandado pelo técnico argentino Javier Weber, o elenco do Taubaté é base da seleção brasileira, uma das candidatas a brigar pela medalha de ouro nos Jogos de Tóquio, entre julho e agosto. Antes disputa a Liga das Nações, entre maio e junho.

Weber, campeão da Superliga como técnico (2004 pela Unisul-SC) e duas vezes como jogador (em 1998 e 1999 pelo Ulbra-RS), assumiu o time há um ano, no lugar de Renan Dal Zotto, treinador da seleção verde-amarela.

Atualmente, cinco campeões olímpicos vestem a camisa de Taubaté: Bruninho, Douglas Souza, Lucão, Maurício Borges e Maurício Souza.

"As pessoas podem pensar 'mas os caras têm os medalhões', mas o nosso negócio é o trabalho. A gente se dedica muito, se sacrificou muito, e, por isso, mereceu esse título", disse o levantador Bruninho, reforço que chegou para esta temporada após deixar o voleibol italiano.

Ele dedicou a conquista ao seu padrinho, Jean Luc Rosat, conhecido como Suíço, que também defendeu a seleção em Olimpíadas (1976 e 1980) e morreu há duas semanas, vítima da Covid-19.

Douglas Souza, Mauricio Souza e Bruninho festejam ponto do Taubaté
Douglas Souza, Mauricio Souza e Bruninho festejam ponto do Taubaté na Superliga - William Lucas/Inovafoto/CBV

Na fase classificatória, o Taubaté fez a segunda melhor campanha, atrás do líder Sada Cruzeiro. A formação de Minas Gerais, porém, foi surpreendida pelo Vôlei Um/Itapetininga nas quartas de final.

Na semifinal, o Taubaté passou pelo Vôlei Campinas/Renata numa espécie de revanche. Em outubro do ano passado, a equipe campineira levou a melhor na decisão do título do Campeonato Paulista. Já o Minas, do técnico Nery Tambeiro, superou o Vôlei Um para avançar à final depois de 12 anos.

As equipes se concentraram em Saquarema desde as vésperas da semifinal, que começou no dia 7 de abril, por conta da pandemia de Covid-19. A reta final da competição feminina transcorreu da mesma forma e terminou no dia 5, com o Itambé/Minas levantando a taça da Superliga diante do Dentil/Praia.

Com a conclusão dos dois naipes do torneio nacional, os times deixam o centro em Saquarema sem a confederação ter anunciado caso de infecção entre atletas e comissões técnicas.

No entanto, o vice-presidente da entidade, Radamés Lattari, e o técnico da seleção masculina, Renan Dal Zotto, contraíram o coronavírus no período em que frequentaram o local. O dirigente está internado em um hospital desde o dia 9 e foi intubado.

Renan também foi hospitalizado, nesta sexta. Segundo a CBV, ele teve uma baixa na saturação de oxigênio e encontra-se no quarto, com estado geral considerado controlado.

Alguns convocados para as seleções brasileiras já treinam em Saquarema, e os grupos ficarão completos nas próximas semanas.

Com o afastamento de Renan, os auxiliares Carlos Schwanke e Ricardo Tabach conduzem os treinos da seleção com nove atletas. Mais quatro convocados vão se apresentar na segunda (19).

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.