Descrição de chapéu Copa Libertadores 2021

Desempenho do Santos na Libertadores mostra que Diniz terá muito trabalho

Equipe é derrotada pelo The Strongest por 2 a 1, em La Paz, e se complica no torneio

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

O Santos perdeu por 2 a 1 para o The Strongest (BOL) na noite desta terça-feira (18), em La Paz, e se complicou na Copa Libertadores. Felipe Jonatan descontou para o time alvinegro.

Com a derrota, a equipe estaciona nos 6 pontos e permanece na segunda colocação do Grupo C. O líder Barcelona (EQU), que tem 9, e o terceiro colocado Boca Juniors (ARG), que também soma 6, se enfrentam nesta quinta (20), em Buenos Aires.

Na última rodada da fase de grupos, o time do técnico Fernando Diniz vai ao Equador encarar o Barcelona. Já o The Strongest, que também briga por uma vaga na próxima fase, visita o Boca na Argentina. Ambos os duelos serão realizados na quarta (26).

Jogadores do The Strongest comemoram gol na vitória sobre o Santos, em La Paz
Jogadores do The Strongest comemoram gol na vitória sobre o Santos, em La Paz - Javier Alejandro Mamani Paco - 18.mai.2021/Reuters

O confronto com os equatorianos poderá marcar a primeira eliminação do Santos nesse estágio do torneio em quase 40 anos. A última vez que o clube caiu ainda na fase de grupos da Libertadores foi na edição de 1984.

Mais do que a situação complicada na competição, o revés para o The Strongest mostrou que Diniz –suspenso nesta terça, no que seria a segunda partida do time sob seu comando– terá bastante trabalho para reordenar a equipe de olho na sequência da temporada.

O treinador, porém, não irá dispor de muito tempo para fazer com que o grupo assimile suas ideias.

Na próxima semana, além do duelo decisivo pelo torneio continental, o Santos estreia no Campeonato Brasileiro. Logo na sequência, também tem compromisso pela Copa do Brasil. Um calendário apertado, sem tantas janelas para o trabalho de campo.

Entre as questões mais urgentes para o time alvinegro está o jogo aéreo defensivo, uma debilidade que os santistas escancararam em La Paz.

Enquanto a equipe buscava se adaptar à altura e ao ritmo do The Strongest, os donos da casa se aproveitaram para construir rapidamente a vantagem.

Após cruzamento da direita, o centroavante Blackburn subiu de cabeça e forçou João Paulo a fazer grande defesa. Mas, no rebote, Reinoso só empurrou para abrir o placar, aos 15 minutos de partida. Logo depois, aos 22, os bolivianos ampliaram.

Bola aérea custou ao Santos a derrota nesta terça-feira (18), na Bolívia
Bola aérea custou ao Santos a derrota nesta terça-feira (18), na Bolívia - Javier Mamani/AFP

Blackburn recebeu lançamento longo e de novo superou a defesa santista pelo alto. O atacante ajeitou de cabeça para Willie, que finalizou da entrada da área, livre de marcação, para anotar o segundo.

Na primeira rodada da Libertadores, o Boca Juniors já havia castigado o Santos com a bola áerea. Tévez, após cobrança de escanteio desviada na primeira trave, foi quem abriu o placar na derrota para os argentinos por 2 a 0, em Buenos Aires.

O revés no clássico diante do Palmeiras, pelo Paulista, também mostrou uma equipe com falências no jogo aéreo. Matías Viña e Willian anotaram, de cabeça e sem marcação, os dois primeiros gols palmeirenses na vitória alviverde por 3 a 2.

A expulsão de Castillo aos 23 da etapa inicial permitiu ao Santos voltar à partida nesta terça, mas a equipe, mesmo com a superioridade numérica, sentiu a altitude e teve dificuldades de pressionar o The Strongest, apostando nos chutes de média e longa distância.

Foi dessa forma que Felipe Jonatan, aos 19 minutos do segundo tempo, em linda batida de fora da área. O gol do lateral esquerdo santista, contudo, foi insuficiente para a reação na capital boliviana.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.