Descrição de chapéu Futebol Internacional

Torcedores do Manchester United invadem estádio em protesto contra donos

Manifestação adia jogo diante do Liverpool e chance de título do Manchester City

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Centenas de torcedores do Manchester United invadiram o gramado do estádio Old Trafford neste domingo (2), antes da partida contra o Liverpool, pela 34ª rodada da Premier League. O protesto teve como alvos os donos do clube, a família americana Glazer.

Por conta da manifestação, o jogo, que deveria começar às 12h30 (de Brasília), foi adiado e não será mais realizado neste domingo. Ainda não há uma nova data marcada.

"Após discussão entre a polícia, a Premier League, o Conselho de Trafford e os clubes, nossa partida contra o Liverpool foi adiada devido a questões de segurança e proteção em torno do protesto de hoje. As discussões agora ocorrerão com a Premier League em uma data revisada para o jogo", afirmou comunicado do United.

A partida entre o segundo colocado Manchester United e o Liverpool poderia definir o título inglês neste domingo. Se os visitantes vencessem em Old Trafford, o líder Manchester City já seria matematicamente campeão com quatro rodadas de antecedência e a apenas dois dias do jogo de volta pelas semifinais da Champions League, contra o PSG.

A manifestação começou por volta das 10h (de Brasília) nas proximidades do estádio da equipe de Manchester, mas cerca de 200 pessoas conseguiram superar o perímetro de segurança e invadiram o campo.

"Vocês podem comprar nosso clube, mas não poderão comprar nosso coração ou nossa alma", estava escrito em um cartaz no protesto.

Muitos dos torcedores usavam as cores verde e ouro, símbolos "anti-Glazer" porque evocam o Newton Heath, clube fundado em 1878 e que 24 anos depois se tornaria o Manchester United.

Os torcedores acenderam sinalizadores, subiram nas traves e nas arquibancadas, exigindo a saída dos proprietários, no controle da agremiação desde 2005.

Atualmente, os negócios esportivos da família, dona também do atual campeão da NFL (liga de futebol americano dos EUA) Tampa Bay Buccaneers, são comandados pelos herdeiros de Malcolm Glazer, morto em 2014.

Ao mesmo tempo, no centro da cidade acontecia um segundo protesto em frente ao hotel onde os jogadores do United estavam hospedados para impedir a saída do ônibus.

A relação entre os torcedores e a família americana sempre foi tensa e acabou piorando com o recente episódio da criação da Superliga, projeto de competição que reuniria os clubes mais ricos da Europa e do qual o Manchester United foi um dos fundadores.

O clube anunciou, logo após deixar a Superliga diante de protestos generalizados na Europa, a saída no final do ano de Ed Woodward, vice-presidente executivo e representante da família Glazer na agremiação.

"Nossos torcedores são apaixonados pelo Manchester United e reconhecemos completamente o direito à liberdade de expressão e ao protesto pacífico", disse a nota do clube neste domingo. "No entanto, lamentamos a interrupção da equipe e as ações que colocaram outros torcedores, funcionários e a polícia em perigo. Agradecemos à polícia por seu apoio e iremos auxiliá-los em quaisquer investigações subsequentes."

Com AFP

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.